O diretor italiano Giuseppe Tornatore veio ao Brasil para prestigiar a mostra em sua homenagem que integra 5ª Semana de Cinema Italiano, realização da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura, com patrocínio da Pirelli, em São Paulo. Seu novo filme “Baaria”, que abriu o recente Festival de Veneza, está na programação.

“Baaria” passa hoje na abertura da retrospectiva dedicada a Tornatore. O filme será distribuído no Brasil pela Paris Filmes, que promete a estreia para fevereiro. Os mais afoitos poderão vê-lo hoje, às 21h30, logo após “Cinema Paradiso”, também de Tornatore, exibido às 19h, no HSBC Belas Artes.

O que os dois filmes têm em comum para o diretor? “A história de Cinema Paradiso poderia ser um fragmento da de Baaria”, explica. Há anos que ele perseguia esse projeto – o mais caro de sua carreira e seu maior sucesso de público na Itália, ultrapassando “Cinema Paradiso”, que recebeu o Oscar da Academia de Hollywood para o melhor filme estrangeiro (em 1988).

O filme acompanha várias décadas da história italiana, do ponto de vista de um pastor siciliano que se inscreve ainda jovem no Partido Comunista e acompanha todas as mudanças ocorridas no país até os anos 1980. Lá pelas tantas, uma esquerda mais radical o define como reformista. Seu filho lhe pergunta o que isso significa. Ele diz: “Reformista é aquele que sabe que ao bater com a cabeça no muro você quebra a cabeça, não o muro”. O título do longa refere-se à região em que Tornatore nasceu, à cidade de Bagheria, que ele reconstituiu na Tunísia.

Baaria lança uma nova atriz, Margareth Madè, parecida com Sophia Loren. O ator é Francesco Scianna, vindo do teatro. O fato de ter uma dupla de desconhecidos como protagonistas de um filme tão caro não deixa de envolver risco. Ao bater com a cabeça no muro, Tornatore poderia ter rompido a cabeça, não o muro. “Eles foram perfeitos para o que eu queria e isso é o mais importante.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

5.ª Semana Pirelli de Cinema Italiano

Hoje, 19h, “Ah! O Amor…”, de Fausto Brizzi; 21h30, “A Siciliana Rebelde”, de Marco Amenta. Iguatemi Cinemark. Av. Faria Lima, 2.232, Tel. (011) 3815-8719. R$ 17.

Hoje, 19h, “É Possível”, de Giulio Manfredonia; 21h30, “Tudo Culpa de Judas”, de Davide Ferrario. Pátio Paulista Cinemark. R. 13 de Maio, 195, tel. (011) 3823-2875. R$ 10.

Hoje, 19h, “Cinema Paradiso”, de Giuseppe Tornatore; 21h30, “Baaria”, de Giuseppe Tornatore. HSBC Belas Artes. R. da Consolação, 2.423, tel. (011) 3258-4092. R$ 8.