Estão em lançamento dois álbuns do megastar David Bowie. Pela EMI surge Best of Bowie e, pela Zomba Records, I Dig Everything, The 1966 Pye Singles, marco do início de carreira e um clássico para os fãs. Apesar do Revival, Bowie observa: “O passado não me intimida em absoluto. Nunca olho muito para trás. Sou catalisado pelo que estou a fazer e menos pelo que já fiz”.

Filosofia, à parte, Best of Bowie é anunciada como uma compilação definitiva e única e com um diferencial: cada país foi autorizado a fazer sua própria seleção de repertório, escolhendo apenas sucessos locais. É o caso do Brasil. O CD traz 19 músicas. Entre as faixas de sucesso entre os fãs brasileiros estão Let’s Dance, RebelRebel, China Girl e Under Pressure. Participam Iggy Pop e Queen, o que é muito especial.

Já I Dig Everything: The 1966 Pye Singles é um material clássico de Bowie que saiu originalmente em 99. As canções são de ótima qualidade e estão incluídas no Cd Early On (1964-1966), que foi um grande sucesso na época. Para os fãs e críticos, I Dig Everything revela o começo da carreira deste camaleão estilizado.

Das seis faixas deste disco, três foram singles I’m Not Losing Sleep, I Dig Everything e Can’t Help Thinking About Me; as outras 3 do lado B de cada um, todas compostas pelo próprio Bowie e traz as influências do blues e R&B que ele costumava ouvir na adolescência.

Figura gigante e controversa da música popular, David Bowie dita modas desde os anos 70, mas percorreu um caminho controverso até adquirir o status de megastar. Teve uma infância difícil, onde a música funcionou como uma válvula de escape. Ao terminar os estudos, aos 16 anos começou a trabalhar como artista gráfico em agências de publicidade, ao mesmo tempo acompanhava fervorosamente o cenário do pop londrino, cantando e trocando sax em bandas como The King Bees, The Mannish Boys e Davey Lones & The Lower Third.

David Jones é o seu o nome de família, mas o deixou para trás, em 1966, com o intuito de não ser confundido com o vocalista da banda americana The Monkees. Mas quem se lembra dessa banda? hoje em dia?