Em amistoso disputado em Grozny, a seleção brasileira representada pelos pentacampeões mundiais de 2002 derrotou a Chechênia por 6 a 4, nesta terça-feira. A equipe local foi liderada pelo presidente do país Ramzan Kadyrov e reforçada pelos alemães Lothar Matthaeus e Oliver Kahn.

O time do Brasil contou com as presenças de Romário, Cafu, Dunga, Júnior Baiano, Raí, Bebeto, Élber, Denilson, André Cruz, Zé Mario, Roque Júnior, Djalminha, Zetti e Roberto Carlos. Segundo Kadyrov, todos dispensaram o cachê para disputar o amistoso, que tinha por objetivo arrecadar fundos para ajudar as vítimas das enchentes do Rio de Janeiro.

Os gols da seleção foram marcados por Bebeto e Sávio, duas vezes cada, Cafu e Romário. O goleiro Zetti também se destacou, ao defender dois pênaltis cobrados pelo presidente da Chechênia. Kadyrov acabou marcando dois gols, um deles em outra penalidade. “O jogo foi um show. Queríamos que as pessoas entendessem, por meio do futebol, que somos uma nação pacífica”, disse o líder checheno, de 34 anos.

A realidade, no entanto, é bem diferente. Há anos a Chechênia está em conflito com o governo central da Rússia, com grupos armados reivindicando a independência da região e recorrendo com frequência ao terrorismo. Kadyrov subiu ao poder em 2004, depois que seu pai, Akhmad, que comandava a Chechênia, foi morto em um atentado no mesmo local do jogo desta terça. O dirigente é considerado rigoroso.