Lanterna do Grupo A com somente um ponto em quatro jogos disputados, o Vasco pode entrar em campo neste domingo já desclassificado para as semifinais da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Basta o Botafogo vencer o Olaria, às 16 horas, para o jogo dos vascaínos contra o Friburguense, às 18h30, praticamente já não valer mais nada para o time de São Januário. Aos jogadores, resta acreditar.

Desde a vitória sobre o Fluminense na semifinal da Taça Guanabara por 3 a 2, o Vasco não consegue uma vitória. Pior: não marca gols desde então. São cinco jogos sem vitória, incluindo a derrota na final do primeiro turno para o Botafogo, por 1 a 0. E então vieram os tropeços diante dos times de menor expressão: Quissamã, Nova Iguaçu e Olaria, além de nova derrota para os botafoguenses, desta vez por goleada (3 a 0), na última quarta-feira.

Para o lateral-direito Nei, o problema pode estar no lado psicológico da equipe. “Às vezes também temos a torcida pegando um pouco no pé. Ela quer títulos, vitórias, isso é normal aqui e em qualquer lugar. Vai ter essa cobrança”, disse. Segundo ele, a queda da equipe no segundo turno “não tem explicação”. “Mas não existe momento ruim que não vai acabar”, disse. “Tem que seguir a vida e trabalhar, para sempre evoluir e superar os obstáculos”.

O jogador é realista quanto às chances: “Não tem mais como chegar”. Até tem. Mas, para isso, o Botafogo não pode conquistar dois pontos ou mais nos quatro jogos que tem pela frente. O Vasco, claro, teria de vencer todos os três que lhe restam. E cada equipe entre o lanterna, Vasco, e o segundo colocado, Botafogo, não poderia super os 10 pontos, pontuação máxima que a equipe de São Januário pode atingir na fase de classificação da Taça Rio.