Ir aos jogos de Coritiba, Atlético e Paraná Clube está cada vez mais caro. Sob o pretexto de estimular a adesão aos seus programas de sócios-torcedores, o Trio de Ferro esfola o bolso de quem ousa ir a uma partida avulsa das equipes. Os preços praticados hoje são mais altos do que os que a Fifa pretende estipular para a Copa do Mundo do ano que vem.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, garantiu que 70% das partidas do Mundial terão ingressos compatíveis com a realidade econômica do povo brasileiro. Em alguns casos, principalmente nos jogos da 1.ª fase da Copa, tendem a ter preços mais baratos do que os praticados em 2010, na África do Sul. Ou seja, abaixo de R$ 40. A Fifa vai anunciar os valores para os jogos da principal competição esportiva do planeta no dia 19 deste mês.

Na contramão, os valores dos ingressos avulsos mais baratos para ver jogos do Paraná Clube, do Coritiba e do Atlético custam, respectivamente, R$ 60, R$ 95 a R$ 150. São preços que valem para o Campeonato Brasileiro e não oferecem nenhuma regalia ao torcedor. Significa que o desembolso, considerado locomoção e alimentação dentro do estádio, pode beirar os R$ 100, no caso do Tricolor, se aproximar dos R$ 150, em partidas do Coxa, e chegar a R$ 200 no do Furacão.

Esse cenário é se o torcedor avulso – a grande maioria dos aficionados dos clube locais – se propor a ir a um jogo por mês. Se pensar em ir a dois ou mais, daí a grana desembolsada supera custos muito mais relevantes, como o da cesta básica, que hoje em Curitiba vale R$ 297. Bate também o valor de um “jantar a dois”, a compra de uma roupa de grife ou proporcionar lazer aos filhos. Mais elitista que a Copa, em Curitiba ver futebol no estádio virou coisa de rico.

Ingressos estão fora da realidade

Os preços cobrados por ingressos avulsos para os jogos de Atlético, Coritiba e Paraná Clube são os mais caros praticados no Brasil. A diferença é tanta, que um torcedor do Coxa, por exemplo, poderia, com o mesmo desembolso (R$ 95) ver partidas de Fluminense, Vasco e Botafogo e ainda sobraria troco.

Entre os três times cariocas, que ainda não podem contar com seus dois principais estádios – Maracanã e Engenhão -, o Fluminense é o que cobra o ingresso mais barato neste Campeonato Brasileiro: R$ 20. Já Vasco e Botafogo, que vêm atuando no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, o valor é de R$ 30 por partida.

Além do Trio de Ferro, outros três clube encareceram, em 2013, o preço dos ingressos avulsos. Dois deles representam a Bahia na Série A do Brasileiro. Em Salvador, o Vitória cobra R$ 70 e o Bahia R$ 60 dos torcedores que não são sócios. Com um detalhe: o aficionado do Tricolor de Aço pode frequentar a Arena Fonte Nova, um dos estádios padrão Fifa. Além da dupla Ba-Vi, a Ponte Preta, representante do interior paulista no Brasileirão, aparece na sequência e embolsa R$ 50 por um bilhete avulso nos jogos realizados no Moisés Lucarelli.

Os preços estipulados pelo Trio de Ferro são tão exorbitantes que chegam a ser maiores do que os valores adotados por alguns clubes europeus. No Campeonato Inglês, o Arsenal e o Manchester City cobram R$ 90 nos bilhetes mais baratos. No Campeonato Alemão, o valor médios dos ingressos é R$ 60. No Campeonato Espanhol, Real Madrid e Barcelona, em jogos que não são considerados clássicos, os bilhetes mais em conta custam R$ 115. Em jogos mais importantes, e que levam a campo os dois maiores times espanhóis, os ingressos custam em torno de R$ 300.

Em outras cidades, média é de R$ 38

Um levantamento realizado pela Pluri Consultoria mostra que Atlético, Coritiba e Paraná Clube estão cobrando preços aquém daqueles que cabem no bolso do torcedor brasileiro. De acordo com o estudo, o preço médio dos ingressos avulsos cobrados no Brasil é de R$ 38. Somando os valores praticados pelo Trio de Ferro nas partidas pelo Campeonato B,rasileiro das Séries A e B, a média quase triplica e chega a R$ 101,66.

Entre as outras 18 equipes que disputam a Primeira Divisão, o valor médio por ingresso chega a R$ 39,22. Ainda segundo o levantamento da Pluri Consultoria, o valor dos ingressos para futebol no Brasil subiu 300% em dez anos. Em março de 2003, o custo médio por bilhete era de R$ 9,50. Cinco anos depois, a quantia média por ingresso avulso passou a custar R$ 15,40. O crescimento no preço dos ingressos foi gradativo e, se continuar assim, a tendência é que a ocupação dos estádios brasileiros, em dias de jogo, seja cada vez menor.

Allan Costa Pinto
Torcida do Atlético: R$ 150 pra sentar no cimentão.
Allan Costa Pinto
Torcida do Coritiba: R$ 95 por jogo, se não for sócio.