São Paulo – “Contato físico, mas sem maldade, é do jogo, é vibração.” Em pouco mais de 30 minutos de conversa e uma hora de treino, Tite, que assumiu ontem o comando técnico do Corinthians, deixou claro que a equipe sofrerá sérias mudanças. Quem gosta do futebol solto, técnico e fazedor de gols que se prepare. A ordem no Parque São Jorge é clara: muita pegada, retranca e, quando der, um golzinho. E a nova linha de trabalho já poderá ser conferida no clássico de domingo, contra o São Paulo, no Morumbi.

Tite não fala com todas as letras, mas nas entrelinhas deixou claro qual é sua idéia para conseguir o que seus três antecessores no cargo tentaram, tentaram e falharam. Assim como Oswaldo de Oliveira, Juninho e Júnior, Tite concluiu que o grupo está com a auto-estima em baixa e que se mostra intimidado pela grandiosidade do clube.

“A única solução nesse caso é conquistar os resultados. Para isso é preciso que o time seja um pouco mais conservador no começo do trabalho. Depois, com o tempo, pode se tornar mais arrojado”, comentou.

E quer ver Tite franzir a testa? Pergunte se o principal objetivo dele, nesse momento, é evitar o rebaixamento. “Estou pensando na Libertadores. Acho que esse é nosso primeiro passo”, disse. “Conforme o resultado do trabalho daqui para frente, podemos pensar no título.”

O Corinthians é o atual 17.º colocado do Campeonato Brasileiro, com sete pontos em sete rodadas. Para completar, o saldo de gols é -12, resultado de 19 sofridos e apenas sete marcados.