O Coritiba retornou ao Tribunal de Justiça Desportiva, nesta quinta-feira (29), para tentar reduzir a pena imposta pelo STJD – perda de 10 mandos de campo e multa de R$ 100 mil – e o resultado ainda não foi o esperado pela defesa alviverde. O pleno diminuiu a multa para R$ 5 mil, porém, o clube terá mesmo que mandar 10 jogos longe do Estádio Couto Pereira. Como o pleno não possuía quorum suficiente para votação, a decisão foi feita pelo auditor-relator do caso, Caio Rocha.

De acordo com a defesa do clube, a decisão de Rocha é contraditória, pois este acolheu apenas os argumentos relacionados à multa em dinheiro.

“Determinadas injustiças extremamente graves somente podem ser revertidas com o tempo e uma delas é a uma punição exagerada como a que o Coritiba está sofrendo. O relator reconheceu as atenuantes da primariedade e da relevante contribuição do clube para o desporto nacional. Assim, deveria reduzir a pena de 10 mandos de jogo também”, disse o advogado René Dotti, em entrevista ao site oficial do clube.

Segundo o diretor jurídico do Coritiba, Gustavo Nadalin, o clube deve recorrer mais uma vez. “O clube não desistirá diante da aplicação dessa pena exagerada enquanto não esgotar todos os meios possíveis”, afirmou.