Representantes de diversos segmentos da sociedade paranaense cobraram ontem que a vinda da Copa do Mundo de 2014 para Curitiba traga benefícios futuros à cidade e ao Estado.

Reunidos ontem (17) na OAB Paraná, em Curitiba, eles conheceram o projeto e se comprometeram a acompanhar de perto a execução de todas as obras e a aplicação de recursos para garantir que o Mundial deixe legado positivo.

A convite da OAB Paraná, o Comitê Executivo de Curitiba para Assuntos da Copa do Mundo apresentou um resumo das ações efetuadas na disputa pela escolha das sedes da competição.

Dirigentes de cerca de 60 instituições da sociedade civil organizada assistiram à apresentação, comandada pelo vice-governador e presidente do comitê, Orlando Pessuti.

“Não é um evento apenas de futebol, mas uma oportunidade para atrair muitos investimentos para Curitiba e para o Paraná”, afirma Alberto de Paula Machado, presidente da OAB Paraná. “É aí que reside o interesse público. Mais importante do que apoiar a candidatura de Curitiba neste primeiro momento será o papel da sociedade civil na fiscalização e acompanhamento das ações.”

Para Orlando Pessuti, a sociedade pode e deve exigir que os investimentos sejam aplicados racionalmente e dentro da legalidade. “Não podemos repetir aqui erros como os que se cometeram nos Jogos Pan-americano do Rio de Janeiro”, disse Pessuti. O Pan custou custou quase dez vezes mais do que o valor inicialmente previsto.

O presidente do Instituto de Engenharia do Paraná, Luiz Claudio Mehl, também citou o Pan-americano para cobrar seriedade dos governos municipal e estadual. “Temos um trabalho urgente a ser feito que é dimensionar e planejar a execução desses projetos, para que os recursos não se dispersem e não se criem elefantes brancos na cidade”, afirma.

A presidente da Associação Comercial do Paraná, Avani Slomp Rodrigues, diz que os dirigentes que participaram da reunião na OAB Paraná formam um grupo coeso e atuante que estará organizado para acompanhar o projeto da Copa 2014.

“É fundamental que haja transparência para que tenhamos a certeza de que as verbas serão aplicadas em estruturas que a população poderá usufruir depois.” A Fifa anuncia em 20 de março as 12 cidades-sedes da Copa.