O São Paulo ainda não sabe o que é vencer fora de casa nesta edição do Paulistão. Após as derrotas para Bragantino e Palmeiras, ambas por 2 a 0, a equipe foi superada novamente neste domingo, dessa vez pela Ponte Preta, por 2 a 1, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Assim, desperdiçou também a oportunidade de revanche pela eliminação na semifinal da Copa Sul-Americana do ano passado.

Apesar da derrota, o São Paulo mostrou bom futebol, sendo surpreendido nos contra-ataques da Ponte Preta. O volante Souza e o atacante Pabón, que estrearam com a camisa são-paulina neste domingo, atuaram bem, com chances de balançar as redes adversárias – o único gol saiu dos pés do goleiro Rogério Ceni, em cobrança de pênalti. Assim, o time segue com 12 pontos, na liderança do Grupo A.

Do lado da Ponte Preta, o destaque ficou por conta do atacante Silvinho, que teve passagem apagada pelo São Paulo no passado. Além de abrir o placar, ele esteve presente em praticamente todos os lances que levaram perigo ao adversário. Assim, ajudou a equipe de Campinas a conseguir a importante vitória deste domingo, que a deixa com 12 pontos no Grupo C, cujo líder é o Santos com 16.

O JOGO – O São Paulo começou melhor em Campinas. Dominava no meio e atacava mais. Um chute forte de Pabón aos 12 minutos quase encontrou o caminho do gol, não fosse um desvio provocado por Fernando Bob. Pouco antes, Antônio Carlos havia perdido grande chance de abrir o placar de cabeça.

Já a Ponte Preta se segurava na defesa, ganhando espaço aos poucos. Tanto é que os donos da casa só foram levar algum perigo aos 37 minutos. Após cobrança de escanteio, Diego Sacoman aproveitou sobra da zaga adversária e chutou forte, bem perto do ângulo de Rogério Ceni.

Quatro minutos depois, contudo, a história foi diferente. Novamente contando com sobra da defesa rival, Silvinho chutou rasteiro no canto esquerdo, abrindo o placar no Estádio Moisés Lucarelli.

Na volta dos vestiários, o jogo se mostrava mais equilibrado, com ambas as equipes levando perigo ao gol adversário. Aos 11 minutos, contudo, Álvaro Pereira recebeu na entrada da área e foi derrubado por Ademir. O árbitro marcou o pênalti, convertido por Rogério Ceni.

Mas a igualdade no placar durou pouco. Aos 14 minutos, Silvinho mandou a bola pelo alto, no meio da área, e Alemão se antecipou para cabecear e vencer o goleiro são-paulino. Novamente a Ponte Preta estava na frente.

No restante do segundo tempo, foram feitas alterações nas duas equipes e a disputa perdeu um pouco do embalo. O São Paulo chegou a ter algumas chances com Ewandro e a Ponte Preta, com César, que, de cabeça, quase marcou aos 35 minutos. Mas, sem ritmo, a partida não se alterou e terminou mesmo com a vitória ponte-pretana no Moisés Lucarelli.

FICHA TÉCNICA:

PONTE PRETA 2 X 1 SÃO PAULO

PONTE PRETA – Roberto; Ferrugem, César, Diego Sacoman e Magal; Alef, Fernando Bob e Tchô (Matheus Olavo); Ademir (Rossi), Silvinho e Alemão (Junio). Técnico: Vadão.

SÃO PAULO – Rogério Ceni; Douglas (Luís Ricardo), Antônio Carlos, Rodrigo Caio e Alvaro Pereira; Wellington, Souza (Ewandro) e Ganso; Osvaldo (Lucas Evangelista), Ademilson e Pabón. Técnico: Muricy Ramalho.

GOLS – Silvinho, aos 41 minutos do primeiro tempo; Rogério Ceni (pênalti), aos 12, e Alemão, aos 14 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Marcelo Prieto Alfieri (SP).

CARTÕES AMARELOS – Souza, Álvaro Pereira e Rodrigo Caio (São Paulo); Tchô (Ponte Preta).

RENDA – R$ 95.955,00.

PÚBLICO – 5.900 pagantes.

LOCAL – Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).