Robert Scheidt comemorou nesta terça-feira “um dia quase perfeito”, como ele próprio definiu, no Mundial da Laser de vela, em Omã. O brasileiro venceu duas das três regatas realizadas nesta jornada da competição, sendo que foi vice-líder da única que não ganhou, e assumiu a liderança da classificação geral.

Este foi o terceiro dia de disputas na raia de Mussanah, na qual o velejador iniciou com tudo ao ganhar as duas primeiras regatas na flotilha azul e depois ser o vice-líder da terceira. Desta forma, ele ficou com apenas nove pontos perdidos na classificação geral e abriu três de distância para o vice-líder, croata Tonci Stipanovic, campeão europeu da Laser.

Um dos maiores nomes da história da vela, Scheidt acumula dez títulos mundiais na Laser, sendo um deles juvenil, além de ter conquistado três medalhas olímpicas (ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004 e prata em Sydney/2000). Neste Mundial, ele volta a competir na classe na qual reinou, visando já os Jogos Olímpicos de 2016, depois de ter ficado oito anos competindo na Star.

Na última segunda-feira, Scheidt venceu a única regata realizada no dia e então assumiu a vice-liderança em Omã, onde obteve um quarto e um quinto lugares nas duas primeiras regatas de domingo, quando fechou na sétima posição na classificação geral. A competição conta com a realização de duas regatas por dia, mas na segunda-feira ocorreu apenas uma por falta de vento.

“Foi bem desgastante, pela quantidade de regatas. Estou muito feliz com o desempenho de hoje, mas sei que ainda temos muito pela frente”, disse Scheidt, ao comemorar o bom desempenho desta terça-feira, evitando cantar vitória antecipada na competição que irá até sábado, com previsão de mais oito regatas a serem realizadas. “Agora é tentar fazer outro bom dia, amanhã (quarta-feira), para entrar bem na fase final”, projetou.

Outro brasileiro disputando este Mundial da Laser, Bruno Fontes, terceiro colocado no ranking mundial desta classe, figura na sexta posição na classificação geral da competição. Ele acumula 28 pontos perdidos até aqui e também está atrás do sueco Jesper Stalhein, do cipriota Pavlos Kontides e do alemão Phillip Buhl, respectivos terceiro, quarto e quinto colocados.