Atuando debaixo de um sol forte, o Rio Branco venceu o Cascavel por 3 a 2, ontem à tarde, com o gol da vitória aos 48 minutos, de penalidade, mexendo com o coração e os nervos dos parnanguaras, que compareceram no Estádio Nelson Medrado Dias.

Os dois times entraram num 3-5-2 e o primeiro tempo do Rio Branco foi irreconhecível, com 5 homens no meio-de-campo batendo cabeça e o esquema de Lívio Vieira indo por água baixo, sem qualquer resultado positivo.

Por outro lado, o time da Cobra era melhor distribuído em campo e conseguia maior poder ofensivo, chegando a criar grandes oportunidades de gol. Tanto que aos 14 minuto, num escanteio cobrado e bem treinado, Daniel deu um leve toque de cabeça e mandou para o fundo das redes de Rodrigo.

Não deu sequer tempo de comemorar. Num lance esquisito pelo lado direito, Negresco, que tinha intenção de cruzar, a bola bateu num zagueiro e desviou tirando do alcance do goleiro Boligon. Estava empatado o jogo, mas o Leão jogava mal e o Cascavel apertando e tentando seu segundo gol, que não aconteceu pela boa atuação do goleiro Rodrigo.

Veio a etapa complementar e aos 6 minutos numa cobrança magistral, Rogério Araxá chutou na gaveta e desempatou. O resultado era injusto até que Livio mudou tudo, armou em 4-3-3, tirando o lateral-esquerdo Romeu, muito fraco, trocando por Ninho, além de substituir Rodrigão, que andava em campo, para escalar Ratinho. Depois, aos 18 minutos tirou Marcelo Nelman, que estava cansado, e escalou Baiano.

O time melhorou, criou potencial ofensivo e equilibrou melhor as ações, principalmente a partir dos 20 minutos, mesmo porque o Cascavel jogava com 10, com a expulsão de Reginaldo.

Ninho deu mais segurança e proteção à defesa, Baiano desequilibrou pelo lado esquerdo e Ratinho foi para frente tentar mais gols. Aos 25 minutos Nogueira fez uma falta no meio-de- campo violenta e acabou expulso. Mas o Rio Branco já era melhor à esta altura. Parecia certo que venceria.

Mas ao 44 minutos o Cascavel fez seu segundo gol, através de Dario. O time da Cobra começou a fazer “cera” e aos 46 minutos, num lance isolado pela direita, Ratinho passou pelo zagueiro e este derrubou o jogador do Leão. Triches não teve dúvida marcou. Rogério Araxá, aos 48 minutos, converteu.

Ficha Técnica

Árbitro: Henrique França Triches; Assistentes: Marco Antonio Aureliano e Miguel Boquegeski.

Gols: Daniel aos 14 e Negresco aos 15: Rogério aos 5, Dario aos 44 e Rogério aos 48.

Rio Branco: Rodrigo, Jean, Romeu (Ninho), Luiz Carlos e Erminho, Nogueira, Cesar Gaucho, Rogério Araxá e Marcelo Nilman(Baiano), Rodrigão (Ratinho) e Negresco.

Cascavel: Boligon, Juan (Nilson), Guilherme, Aldemir e Valmor, Culman, Reginaldo, Daniel e Fernando, Edmilson (Cineu).

Público: 1.697; Renda: R$ 9.925,00.