Ricardo Drubscki chega ao Atlético em meio à queda de rendimento do time e muitas cobranças por resultados melhores na Série B. Campeão da Série D, pelo Tupi-MG, no ano passado, o técnico terá sua segunda chance no Furacão, Entre 2008 e 2010, trazido por Marcos Malucelli, Ricardo comandou as equipes de base do clube. Deixou o Furacão para assumir o Monte Azul, na Segundona do Campeonato Paulista. Seu último time foi o Volta Redonda, do Rio de Janeiro. Por já conhecer o clube, Drubscki chega empolgado e, segundo ele mesmo, esperançoso. “Estou encarando esse momento meu, profissional, como ideal para assumir um compromisso tão importante. São 30 anos de profissional no futebol, trabalhando em várias áreas. Estou muito feliz e esperançoso”, disse.

Com muitos jogadores que iniciaram na base sob seu comando, a aproximação com o elenco pode ser um de seus diferenciais na empreitada que enfrenta a partir de hoje. “Conheço bem 50% do elenco. O Atlético tem uma estrutura top no Brasil. Sei que terei uma grande estrutura e vou aproveitar o máximo. Espero que todo esse trabalho e essa troca seja muito boa para voltarmos à Primeira Divisão”, afirmou.

Drubscki é o segundo treinador do Atlético neste ano, mas entra para uma vasta lista da era Petraglia. Desde que o mandatário chegou ao clube em 1995, com períodos de afastamento, a lista de comandantes do time já chega a 64 nomes. O Campeonato Brasileiro tem sido o grande algoz dos comandantes do Furacão. Desde 2003, quando começou a disputa do Brasileirão no sistema de pontos corridos, nenhum treinador que começou a competição conseguiu terminá-la.