A “Revolução Paranista” -movimento que não vingou no ano passado -, enfim dá sinais de que sairá do papel. Nos próximos dias, o presidente Aquilino Romani irá anunciar a nova composição do conselho diretor do Paraná Clube. A tendência é que ocorra uma mescla entre os atuais vice-presidentes e a inclusão de novos colaboradores.

O primeiro sinal dessa mudança ocorreu na semana passada, quando Paulo César Silva foi confirmado como novo vice de futebol. Naquele momento, o dirigente chegou a dizer que ele era apenas o primeiro e que outros paranistas “de coração” estavam também retornando ao clube. É o caso de Marcelo Romaniewicz, que mesmo sem uma “cadeira” efetiva no conselho, atuará diretamente na reformulação do marketing do Tricolor. “Penso que não há necessidade de cargo para ajudar o clube. Tenho uma vida profissional muito corrida, mas sempre é possível encontrar um tempo para colaborar”, comentou Romano, que liderou o grupo responsável pela idealização do SemPRe Torcedor – programa de sócio-torcedor do clube. “Dá até para dizer que a revolução começa agora, com uma mobilização dos paranistas em torno de um único objetivo: fazer o Paraná voltar a ser autossustentável”.

<Noticias Relacionadas>Marcelo Romano preferiu não antecipar quem irá ocupar o cargo de vice de marketing, mas este será apenas um cargo a passar por mudança. Comenta-se que a maioria das onze vice presidências será modificada. “O mais importante é a gente conseguir colocar em prática um projeto para o clube. Aglutinar não apenas dirigentes e empresários, mas toda a torcida. O Paraná, de uma forma geral, precisa acordar do sono profundo em que se encontra há tempos”, disse Romano.

Mesmo sendo um dos integrantes da nova geração de dirigentes paranistas, Romano acredita que a força do clube só será comprovada com a união das várias gerações. “Quando a Revolução foi idealizada, era com esse objetivo. Mas, no fim, o Aramis (Tissot) ficou sozinho na composição. Agora, essa situação está sendo resolvida”, comentou. Inicialmente, o anúncio do novo conselho diretor ocorreria hoje, porém, diante de alguns ajustes, isso só deverá ocorrer na quinta-feira.

Além das mudanças diretivas, Aquilino Romani deverá confirmar algumas mudanças estruturais no clube. O clube deverá contar com profissionais encarregados de definir estratégias para a recuperação financeira e administrativa do Tricolor, que projeta 2011 como o ano da redenção. Tudo, é claro, passa pelo resgate do departamento de futebol, que na visão de todos é o “carro chefe” do Paraná. “Com o futebol encaminhado, tudo se estabiliza. Este tem que ser o pensamento do clube”, arrematou o vice de futebol Paulo César Silva.