Adriano é a novidade do Coritiba
para enfrentar o Guarani.

A principal arma ofensiva do Coritiba está de volta. O lateral Adriano recuperou-se das dores musculares e vai enfrentar o Guarani, sábado, às 16h, no Couto Pereira. Com ele, o técnico Paulo Bonamigo volta a contar com uma importante peça de sua engrenagem, e não seria errado dizer que a arrumação tática alviverde para o jogo do final de semana passa pela presença de Adriano.

Na primeira avaliação, o lateral-esquerdo ficaria fora da partida de sábado, por causa da contratura muscular na coxa esquerda. Mas a recuperação dele foi acima do esperado pelos médicos, o que permitiu a Adriano treinar normalmente na tarde de ontem. “O departamento médico me liberou e eu vou jogar”, afirma o confiante Adriano.

Foi a melhor notícia para Bonamigo, que tem consciência do valor tático que o jogador tem. “Ter o Adriano é ter ofensividade nas jogadas de linha de fundo, e esse é um ponto fundamental do nosso planejamento, ainda mais jogando dentro de casa”, afirma Bonamigo.

Só que ao mesmo tempo é necessário montar-se uma tática que facilite seu trabalho. “Precisamos de uma cobertura pelo lado, já que no esquema que usamos os dois laterais apóiam ao mesmo tempo. Aí entra o (Reginaldo) Nascimento, que faz essa marcação”, explica Bonamigo, que vai montar o Coxa no 3-5-2. “Não posso fazer o Edinho jogar sempre na cobertura. Às vezes ele vai, mas é uma exigência muito grande”, comenta o treinador.

E se Nascimento será, como de hábito, o terceiro zagueiro, torna-se improvável que Bonamigo saque Roberto Brum (que seria o único marcador no meio-campo) para a entrada de Tcheco. É mais certo que um atacante seja sacado do time, e o técnico alviverde não esconde que isso possa acontecer. “Tem o Lima, o próprio Edu, mas eu não quero ficar falando sobre isso”, esquiva-se.

Para o técnico, a alteração que será feita não precisa ser previamente anunciada. “Tenho tempo, e às vezes o tempo é um grande aliado. Tirar alguém do time após uma boa atuação é complicado, e por isso eu prefiro dizer agora que eu tenho doze jogadores para onze vagas”, resume Bonamigo. Portanto, o coletivo que acontece hoje é decisivo – vai definir, de uma vez, quem é que vai ficar chateado com a reserva.

Tcheco volta e assume uma postura mais light

É realmente um novo Tcheco. Se há pouco mais de um mês o meio-campista coxa transparecia um novo comportamento, mais calmo, calado e sereno, agora ele confirma essa mudança quando volta ao Coritiba – tendo sido escalado antecipadamente pelo técnico Paulo Bonamigo. Esse ?novo? Tcheco não quer entrar em polêmicas, não assume um posto de importância em relação aos companheiros, é mais discreto nos gestos e nas atitudes. Tudo para evitar problemas.

Aquelas declarações de tempos atrás não serão mais ouvidas. Tcheco, com uma sinceridade cortante, confessa que não fala mais para que suas declarações não sejam distorcidas. “Olha, eu tenho receio de falar sim. As palavras que você fala são usadas de outra forma, e quem vai se prejudicar mais sou eu. Então, agora só falo o necessário”, afirma o meio-campista.

Tcheco até que não passou por muitos problemas, mas ele observou o que aconteceu no caso envolvendo Bonamigo, Roberto Brum e o secretário Domingos Moro. Antes que alguma coisa que ele fale o complique, o jogador preferiu então se fechar. “Não vou ficar falando o que penso, porque posso ser mal-entendido”, confirma.

Esse foi o passo mais importante da mudança do meio-campista alviverde. Os outros são, na verdade, decorrentes desse. Mesmo quando Bonamigo o confirmou na equipe sem que tivesse sido realizado um treinamento, Tcheco se sentiu ?livre? para dizer que é titular absoluto do Coritiba. “Aqui não tem cadeira cativa para ninguém. Eu tenho que lutar para conquistar uma vaga na equipe”, garante.

E, nesse novo jeito de ser, Tcheco comemora a escalação antecipada. “É importante pelo elenco que o Coritiba tem. É só ver o jogo contra o Paysandu”, afirma. E nem queira saber quem ele acha que deve sair do time para a sua entrada. “Isso é assunto do Bonamigo. Mais importante que isso é a vitória, e nós precisamos jogar bem e vencer em casa, já que fora de casa nós já estamos mostrando bom futebol”, finaliza o ?novo? Tcheco.