Em 18 dias, quatro confrontos entre Barcelona e Real Madrid. A possibilidade deste período histórico foi confirmada nesta quarta-feira, com a classificação do time madrilenho às semifinais da Liga dos Campeões. Em Londres, os comandados de José Mourinho voltaram a vencer o Tottenham, desta vez por 1 a 0, e encontram os catalães na próxima fase da principal competição interclubes da Europa. Antes, Barça e Real jogam pelo Espanhol, no próximo sábado, e decidem a Copa do Rei, na quarta-feira que vem.

Depois da vitória por 4 a 0 no Santiago Bernabéu o caminho estava vaga estava facilitado para o Real Madrid. Nem por isso Mourinho poupou titulares, apesar de Sergio Ramos, Ricardo Carvalho, Albiol e Cristiano Ronaldo estarem pendurados com quatro cartões amarelos. Só o defensor português foi advertido em Londres e desfalca o Real no jogo de ida contra o Barcelona, daqui a duas semanas.

O grande nome do jogo em White Hart Lane acabou sendo um brasileiro. E não foi nem Marcelo, um dos destaques do Real Madrid, nem Kaká, que substituiu Cristiano Ronaldo aos 19 minutos do segundo tempo, muito menos Sandro, que jogou pouco. Mas o goleiro Gomes, e negativamente.

Aos 4 minutos do segundo tempo, Cristiano Ronaldo tentou um chute de muito longe e mandou a bola no meio do gol, na altura da cabeça de Gomes, que dobrou os joelhos e esticou os dois braços para segurar a bola. Ela, porém, passou por entre suas mãos, quicou atrás dele e entrou no gol.

Este foi o terceiro frango de Gomes em jogos importantes do Tottenham na temporada. Contra o Manchester United, ficou reclamando de uma falta, pôs a bola em jogo e permitiu que Nani a roubasse e fizesse o gol. Depois, contra o Chelsea, também pelo inglês, falhou em um chute de Droga, em lance parecido com o gol de Cristiano Ronaldo nesta quarta.

Se podia contar com Bale, o Tottenham não tinha Crouch e, com isso, perdeu sua principal jogada. Pavlyuchenko, seu substituto, não correspondeu e falhou em todas as vezes que a bola chegou a ele na área. O ala galês até tentou, bateu de fora da área, procurou outros companheiros, mas não conseguiu furar a bem postada zaga espanhola e a noite inspirada de Casillas.

Com a classificação garantida depois do gol de Cristiano Ronaldo, Mourinho finalmente poupou seus pendurados – o português e Sérgio Ramos saíram – e deu uma chance a Kaká, que entrou bem. Foi dele a principal chance do Real após o gol, em um chute de fora da área, que Gomes mandou a escanteio no canto baixo esquerdo.