O técnico Oswaldo de Oliveira foi apresentado nesta terça-feira como novo técnico do Palmeiras e chegou mostrando muita animação. O treinador, que assinou contrato válido até dezembro do ano que vem, fez questão de agradecer ao seu antecessor, Dorival Júnior, que conseguiu manter a equipe na Série A do Campeonato Brasileiro.

“Quero dizer a vocês que realizo um sonho. Trabalhar nesse clube com tanta tradição e herança positiva para o futebol brasileiro. É uma emoção muito grande e inspiradora. Motivadora acima de tudo. Vamos buscar ao longo deste ano conseguir restaurar os grandes momentos do Palmeiras. Quero também agradecer ao meu colega Dorival Júnior pela manutenção na Série A. Vou trabalhar para dar continuidade ao trabalho dele”, disse o técnico, em uma concorrida entrevista coletiva realizada na Academia de Futebol.

O treinador explicou ainda que gosta de trabalhar com jogadores da base, exatamente como deseja o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre. Entretanto, o treinador enfatizou que também vai exigir a chegada de bons jogadores, independentemente da nacionalidade, deixando claro que os estrangeiros da equipe não sofrerão nenhuma discriminação.

“Muitas vezes, as nuances da nossa carreira vão caracterizando uma pessoa. Nos dois últimos anos ficou muito forte essa coisa do meu trabalho com garotos da base. Gosto sim de trabalhar com jovens, porque eles têm entusiasmo e vontade. Aquela coisa de revelar e dar oportunidade me excita muito, mas não é só com garotos que eu gosto de trabalhar. Gosto de trabalhar com jogadores bons, independentemente da nacionalidade ou idade. Não importa se é jovem, austríaco ou brasileiro. O importante é ser disciplinado e obediente, porque o futebol hoje sem disciplina e obediência tática não evolui”, explicou.

O Palmeiras acabou a temporada com 39 jogadores. Para Oswaldo, o número ideal é 34, mas a reformulação da equipe fará com que a equipe tenha muitas caras novas. Apesar disso, ele admitiu que gostaria de contar com Valdivia, velho conhecido e ídolo da torcida.

“Não gostaria de falar de jogadores agora. O presidente me ligou na sexta-feira e a partir de lá acertamos. Não deu tempo de ver tudo. Confesso que, ao longo do Brasileiro, não olhava para o Palmeiras como uma possibilidade, mas vejo muitos valores importantes e o Valdivia é um deles. Alguns jovens muito bons que eu gostaria de dar continuidade ao trabalho. Tudo isso ainda é uma massa para ser modelada. Gosto de trabalhar com 34 atletas. Quatro goleiros e 30 de linha, sendo três de cada opção, sendo que o jovem é a terceira opção na posição”.

O treinador volta a entrar de férias e inicia as atividades no comando da equipe no dia 7 de janeiro, quando o elenco se reapresenta visando a próxima temporada.