A oitava rodada do Campeonato Paranaense ficou marcada por empates. Mas não simples empates. Na maioria das partidas, os pontos só foram divididos pelas equipes nos minutos finais, quando o gol salvador (ou mortal, dependendo do ponto de vista), aconteceram. Como em Cornélio Procópio.

Desesperado na busca por uma vitória, para deixar a lanterna da competição e se manter vivo na luta contra o rebaixamento, e até mesmo pensando em classificação, o Operário foi com tudo para cima do PSTC. E parecia que o triunfo longe de casa viria. O Fantasma abriu o placar com Thiago Silva, aos 33 do primeiro tempo, e ampliou a vantagem aos 22 da etapa final. Confortável, o time de Ponta Grossa acabou dando espaços para o PSTC, que não desistiu em nenhum momento e conseguiu uma recuperação que poucos esperavam.

Aos 40, Índio descontou o placar e já nos acréscimos, aos 46, Afonso fez o gol que definiu o 2×2 como o placar final, manteve o Operário em último lugar, com cinco pontos, e o PSTC segue entre os oito primeiros, em sétimo, com nove pontos.

Na Fronteira

Outro que só pode comemorar um ponto no apagar das luzes foi o Foz do Iguaçu. Jogando em casa, no ABC, a equipe da fronteira teve muitas dificuldades diante do Rio Branco, que saiu na frente com Ratinho, aos 37 do primeiro tempo. Nos 45 minutos finais, Pepê deixou tudo igual, aos 16. Só que o Leão da Estradinha mais uma vez comandou o placar, graças ao gol de Alisson, aos 29. Porém, assim como já havia feito diante do Atlético, na Arena, o Foz não desistiu e, aos 43, Safira fez o gol decisivo do outro 2×2 da rodada. Com o resultado, o Foz segue em quinto na tabela, com 11 pontos, enquanto o Rio Branco é o nono, com oito pontos.

Sem dificuldades

O único time do interior que não teve dificuldade alguma na rodada foi o Toledo, que venceu o Maringá por 3×0. Diante da sua torcida, no 14 de Dezembro, o Porco começou com tudo. Saiu na frente logo aos 12 minutos, com Gilson, e ampliou a vantagem no marcador com Rafael Bastos, aos 25. O Toledo chegou ao terceiro gol novamente com Rafael Bastos, aos 20 da etapa final.
Agora, o Porco já está em sexto lugar, com dez pontos. O Zebra, por sua vez, continua na zona de rebaixamento.

Empate suado

No sábado, o J. Malucelli já havia mostrado um enorme poder de recuperação. Jogando na casa do Cascavel, no Olímpico Regional, o Jotinha, depois de sair perdendo por 3×0 no primeiro tempo, conseguiu reagir e terminou a partida empatando por 3×3. O resultado manteve a equipe do Barigüi na vice-liderança, enquanto a Serpente é apenas a décima colocada, com oito pontos.

O Cascavel fez os três gols em um intervalo de 15 minutos. Morato, aos 25, Denilson, aos 27, e Morato, mais uma vez, aos 40, atropelaram o J. Malucelli na primeira etapa. Um palcar que colocaria o clube do interior no grupo de classificação para a próxima fase do Estadual. Só que o time da capital voltou com tudo para o segundo tempo e Getterson, aos cinco, e Wellington, aos oito, já mostravam que a situação poderia reverter. Até que aos 36 Valdomiro fez o gol que definou o placar final.