Faltando apenas quatro dias para o final das competições, a Noruega reassumiu nesta quarta-feira a liderança do quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi. Com as duas de ouro que conquistou, a delegação norueguesa ultrapassou a Alemanha, que passou o dia em branco.

O destaque do dia em Sochi foi o norueguês Ole Einar Bjoerndalen, que venceu a prova de revezamento misto do biatlo – junto com Tora Berger, Tiril Eckhoff e Emil Hegle Svendsen – e se tornou o maior medalhista olímpico da história dos Jogos de Inverno. Agora, ele soma oito de ouro, quatro de prata e uma de bronze em cinco edições da Olimpíada que já disputou.

Além da vitória do revezamento comandado por Bjoerndalen no biatlo, a Noruega somou outra medalha de ouro nesta quarta-feira. Foi na disputa feminina por equipes da prova de sprint no esqui cross country, com o título olímpico de Ingvild Flugstad Oestberg e Marit Bjoergen.

Assim, a Noruega soma agora nove medalhas de ouro, quatro de prata e sete de bronze nos Jogos de Sochi. Em segundo lugar, a Alemanha tem oito de ouro, três de prata e quatro de bronze. E os Estados Unidos aparecem na terceira posição, com sete de ouro, cinco de prata e 11 de bronze.

Das oito medalhas de ouro distribuídas nesta quarta-feira em Sochi, duas foram para a Noruega. Entre as outras, os títulos ficaram com o norte-americano Ted Ligety (slalom gigante do esqui alpino), as canadenses Kaillie Humphries e Heather Moyse (bobsled), os finlandeses Iivo Niskanen e Sami Jauhojaervi (esqui cross country por equipes), o russo Vic Wild (slalom gigante paralelo do snowboard), a suíça Patrizia Kummer (slalom gigante paralelo do snowboard) e o a checa Martina Sablikova (5.000m na patinação de velocidade).