O clássico de amanhã com o Paraná, na Vila Capanema, pela última rodada do primeiro turno da Série B do Brasileirão vai ser marcante para o elenco do Atlético, que pela primeira vez fará um jogo em Curitiba.

Com a Arena da Baixada em obras e sem conseguir chegar a um acordo com o próprio Tricolor e o Coritiba para usar seus respectivos estádios, o Furacão teve de encarar, semanalmente, uma viagem de 90 quilômetros para mandar seus jogos na Segundona. Agora, ainda que seja visitante, o time finalmente sentirá o gostinho de atuar novamente na capital. O último jogo em Curitiba foi no dia 16 de maio, pela Copa do Brasil, coincidentemente despedida do Furacão da Vila Capanema.

“É um gostinho especial por ser um jogo aqui. É muito importante, a torcida tem comparecido em Paranaguá, mas aqui fica mais perto”, disse o meia Elias, que chegou ao Furacão apenas em julho.

O técnico Ricardo Drubscky também não teve o gostinho de comandar seu time em Curitiba e está ansioso pela proximidade maior que terá com a torcida. E a maior expectativa é pelos jogos no Ecoestádio Janguito Malucelli, que devem acontecer a partir do dia 4 de setembro, começando com o confronto com o Boa Esporte.

“Jogar em Curitiba é muito importante. Não é a Arena, mas tem um campo excelente e vai permitir que o genuíno torcedor esteja presente em massa”, comemora Ricardo.

Mesmo animados com o retorno à capital, o que o elenco desejava, em especial os contratados recentes, era poder jogar na velha arena da Baixada, pelo que já provaram jogando contra o Furacão em seu reduto e até mesmo pela fama do estádio de ser um caldeirão. Mas como não é possível escolher onde atuar, a melhor alternativa é não se importar com o local do jogo.

“Temos que fazer o nosso melhor. A nossa vontade era jogar na Arena, que é nossa casa. Mas a torcida tem apoiado, tem ido ao estádio e isso é importante”, ressaltou Elias.

Para o jogo com o Boa Esporte, a torcida já vai poder “desfrutar” da estrutura que está sendo criada no Ecoestádio. O Rubro-Negro já está na segunda etapa das obras com o início da construção das arquibancadas que ficarão atrás das cabines de imprensa. A estrutura poderá receber 5.100 torcedores. Os outros 700 lugares ficarão atrás do gol à direita das cabines, setor que já está concluído. Na próxima semana, a diretoria deve solicitar as vistorias para poder encaminhar os laudos à CBF e conseguir oficializar os jogos no Janguito.