Foto: Allan Costa Pinto

Alex Fraga, que substitui o suspenso Antonio Carlos, será a única novidade no Furacão.

Hoje acontece no Estádio José Garbelini, em Cambé, norte do Estado, o duelo dos contrastes. De um lado o dono da casa – o CAC/Portuguesa – , que até o momento somou apenas 4 pontos e ocupa a última colocação no campeonato. O oponente é o time sensação da competição, o líder Atlético, que conquistou seis vitórias consecutivas e 100% de aproveitamento. Apesar do abismo que separa as duas equipes, os dois treinadores apostam suas fichas no potencial de seus comandados e na conquista dos três pontos.

Pelo Furacão, Ney Franco disse que seus jogadores entrarão em campo para vencerem e permanecerem invictos na competição. Porém o respeito ao adversário é grande. ?A Portuguesa tem que ser respeitada porque, se for de outra maneira, poderemos ser surpreendidos. Já estudamos o adversário, que tem alguns detalhes interessantes e jogadores que podem desequilibrar, principalmente o atacante angolano?, destacou.

Outro detalhe lembrado por Franco é sobre o tamanho do campo, que é cinco metros menor em comprimento, o que diminui o espaço para se trabalhar a bola. ?São detalhes que têm que ser analisados?, afirma.

Sem mudanças

Sobre o time não há segredos. O técnico manterá o esquema com três zagueiros e Alex Fraga será o substituto de Antônio Carlos, que recebeu o terceiro cartão amarelo e cumprirá suspensão. Nas demais posições, a escalação que o torcedor atleticano já está se familiarizando.

A troca de peças não prejudicará o desempenho do Atlético em Cambé, como confirmou o novo dono da camisa 5 rubro-negra, que atuará na mesma função de Antônio Carlos, jogando na sobra. Alex Fraga disse estar preparado e que espera corresponder à confiança que o treinador depositou nele. ?Sempre procuro entrar e mostrar um bom futebol. Sabemos que não será nada fácil contra a Portuguesa?, comentou.

A expectativa de fazer uma boa apresentação passa inclusive pela possibilidade de marcar gols e manter a escrita deste início de competição, na qual o Atlético detém os ?zagueiros artilheiros?. Rhodolfo, Antônio Carlos e Danilo assinalaram juntos cinco gols e Alex também quer fazer parte deste grupo. ?Se tiver a oportunidade, espero marcar o meu também?, complementou.

O companheiro de zaga Danilo também espera um jogo difícil no norte do Estado, pois todo o time de menor expressão sempre quer aprontar diante de um grande. ?A Portuguesa vai querer mostrar que tem qualidade e potencial. Por isso não podemos cair nessa armadilha, e entrar em campo respeitando o adversário, como temos feito em todas as partidas?, finalizou o ex-capitão.

Campeonato Paranaense

7ª rodada – 1.ª fase

Portuguesa x Atlético

Local: Estádio José Garbelini, em Cambé

Hora: 17h

Portuguesa: Braz, Flávio, Tião e Rafael Leite; Caniggia, Ramirez, Rossini, Preto e Alex; Ferrari e Ambi. Técnico: Israel de Jesus.

Atlético: Vinícius; Rhodolfo, Alex Fraga e Danilo; Jancarlos, Valencia, Claiton, Netinho e Michel; Ferreira e Marcelo Ramos. Técnico: Ney Franco.

Árbitro: Adriano Milczwski

Assistentes: Júlio César de Souza e Pedro Martinelli Crhistino

Possível entrada de Irênio faz Ney Franco testar variações táticas

Foto: Allan Costa Pinto

Técnico orienta o veterano meio-campista: dependendo da partida, time pode jogar no 4-4-2 ou 4-3-3.

Jogar com três zagueiros tem sido o esquema adotado pelo Atlético desde a temporada anterior. Porém Ney Franco sempre pregou a necessidade de mudar o esquema de jogo do 3-5-2 para o 4-4-2 ou 4-3-3, caso o panorama da partida assim exija.

Com a inclusão do meia Irênio ao grupo rubro-negro nesta temporada, a necessidade de variação tática ficou ainda maior, pela qualidade técnica do jogador. Por isso, ontem, Franco treinou duas variações para a escalação considerada titular. A primeira delas foi a entrada de Alan Bahia no lugar do zagueiro Alex Fraga, desmontando o 3-5-2 e passando para o 4-4-2. A outra mudança foi de peças e não de esquema. Ainda com três zagueiros, o treinador testou o meia Netinho como ala esquerda no lugar de Michel e a função de armar o Furacão passou para Irênio, que tem grande probabilidade de fazer sua estréia com a camisa rubro-negra. ?São possibilidades que podem ser usadas nesta partida ou no futuro. Estamos no momento de ter um leque maior de opções na parte tática e também na individual. O Irênio vai ficar no banco e talvez possa jogar, entrando no 2.º tempo?, comentou Franco.

Logo após o término do coletivo, foi dado ênfase no treinamento das jogadas de bola parada, que têm sido bem aproveitadas pelo Atlético e decisivas nos últimos confrontos. ?Em todos os jogos estão saindo gols de bola parada. É um detalhe que pode decidir partidas e até mesmo campeonatos. Temos um potencial muito grande porque temos bons batedores e jogadores que têm o tempo certo da bola para fazer essa finalização?, disse.

Treinador folclórico não se intimida contra o líder

Foto: Anderson Tozato

Atlético pediu atenção com ?angolano? Ambi, que é de Guiné-Bissau.

Apesar de estar na lanterna da competição, o técnico do CAC/Portuguesa, Israel de Jesus, acredita que sua equipe irá se equiparar ao Atlético, líder do campeonato, no jogo de hoje à tarde. ?No gramado são 11 contra 11 e tudo pode acontecer?, afirma o treinador. Tanto entusiasmo se deve à volta de três titulares ? Tião (zagueiro), Caniggia (ala-direita) e Ferrari (atacante) – e porque pela primeira vez neste Estadual ele poderá escalar o time que considera ideal. Além disso, Israel destaca o incentivo que a torcida dará no Estádio José Garbelini e as dimensões reduzidas do campo que podem favorecer seus comandados. ?Pensamos em vitória, sim?, declarou.

A partir da manutenção da equipe e com a seqüência de jogos e treinamentos, o técnico espera o crescimento de seu time. Ele diz não estar preocupado com a posição na tabela (lanterna) pois está a apenas três pontos da zona de classificação. Israel espera que contra o Atlético seus jogadores -principalmente os da defesa – não repitam os erros cometidos nos jogos passados, que comprometeram a performance da equipe. ?Estamos começando bem, mas temos dado gols aos adversários. Com o retorno dos titulares espero um melhor rendimento?, finalizou.

Em seis jogos, a Lusa somou apenas quatro pontos – uma vitória e um empate.