Charleroi – O conflito entre os clubes mais fortes da Europa (G-14) e a Fifa pela cessão de jogadores para partidas internacionais ganhou mais um episódio ontem. Foi num tribunal belga, onde o pequeno time local, o Sporting Charleroi, pediu uma compensação financeira por um jogador marroquino que se machucou quando defendia a sua seleção.

O G-14 está por trás da ação do Charleroi e espera que o julgamento possa quebrar a hegemonia da Fifa, que prioriza eventos com seleções, deixando os clubes que pagam os salários dos jogadores sem nenhuma compensação.

O jogador Abdelmajid Oulmers se machucou quando defendia o Marrocos contra a seleção de Burkina Faso, em novembro de 2004. Ele ficou afastado dos gramados por oito meses. Durante todo esse período, quem teve quer arcar com as despesas para a recuperação do jogador foi o Charleroi.

Inconformado, o clube belga decidiu recorrer aos tribunais por achar que a lesão do jogador influenciou no planejamento do time que pretendia conquistar uma vaga para a Copa da Uefa.

?As coisas devem mudar?, explicou Thomas Kurth, diretor do G-14, que ressaltou que a falta de uma compensação financeira por parte da Fifa reflete o grande poder das federações sobre os clubes.

O Charleroi decidiu enfrentar a Fifa e entrou na Justiça para pedir uma quantia de 740 mil euros, para compensar o que foi gasto e perdido com a lesão do jogador marroquino.