Arthur Nogueira – Por acaso, a dona de casa Ilma de Castro Libânio, de 51 anos, mãe de Edinaldo Batista Libânio, de 25 anos, o Grafite, atacante do São Paulo, foi libertada ontem de um cativeiro onde era mantida refém desde a tarde de quarta-feira. Ilma estava sendo vigiada por dois seqüestradores numa chácara abandonada na zona rural de Arthur Nogueira, região metropolitana de Campinas, interior paulista. Ambos foram presos.

Por volta das 15h30, a Polícia Civil recebeu uma denúncia anônima de que um garoto havia sido visto entrando na chácara com uma sacola de comida. Policiais desconfiaram e pediram para homens da Guarda Civil irem até lá. De acordo com a polícia, o dono da chácara está preso por homicídio. No ano passado, próximo ao local, foram apreendidos 300 quilos de explosivos.

Os policiais surpreenderam os acusados Ubirajara Aquelino de Farias, de 34 anos, e Josenildo Alves Pereira, de 30, sentados do lado de fora da casa. Eles correram em direção a um matagal, deixando a entrada do imóvel livre para a Guarda Civil. A mãe de Grafite foi encontrada em um quarto da casa sentada em um colchão. ?Ela estava chorando muito?, contou Armindo Antunes Pereira, Guarda Civil que libertou a
dona de casa.

Às 17 horas, policiais militares conseguiram prender os dois seqüestradores. Farias e Pereira estavam escondidos no matagal a menos de dois quilômetros de distância do cativeiro. Libertada, Ilma foi levada para o hospital e, em seguida, encaminhada para a delegacia de Arthur Nogueira.