Bastou o Corinthians ficar entre os líderes do Campeonato Brasileiro para acontecer uma grande reviravolta na política do clube. O chefão da MSI, Kia Joorabchian, voltou a exercer o poder que havia abandonado logo após a eliminação do clube da Libertadores de 2006.

O iraniano e a diretoria da Samsung deixaram certa a renovação do patrocínio da camisa. Por cerca de R$ 14 milhões anuais.

Foi Kia quem acertou com a empresa sul-coreana. Na renovação, ficou claro que a agência de publicidade SMA (Sports Marketing Agency), de propriedade de Carla Dualib, neta do presidente do Corinthians, Alberto Dualib, não tem qualquer participação no negócio.