O técnico da Inglaterra, Roy Hodgson, negou nesta quarta-feira qualquer possibilidade de demover John Terry da decisão de se aposentar da seleção inglesa e convocá-lo para disputar a Copa do Mundo no Brasil. O jogador de 33 anos está muito bem pelo Chelsea, ao mesmo tempo que o time nacional vem de duas derrotas em casa, o que começou a criar um burburinho na imprensa pela volta do antigo capitão.

“John está aposentado. Até onde eu sei, esta é a situação. Nós tivemos um longo caminho sem ele para durante toda as Eliminatórias e algumas amistosos e temos que ir adiante sem ele no futuro. Até onde eu sei, aposentadoria é aposentadoria”, comentou Hodgson, nesta quarta-feira.

Terry tem 78 partidas pela Inglaterra durante a carreira. Em 2012, após a Eurocopa, avisou que não gostaria mais de ser convocado, porque estava encerrando sua passagem pela seleção. Aos 33 anos, vem em ótima fase com o Chelsea, o líder do Campeonato Inglês. Enquanto isso, a Inglaterra perdeu os dois últimos jogos amistosos, para Chile e Alemanha, ambos em novembro.

Em 2010, Terry se envolveu em uma polêmica na sua vida pessoal que o fez perder o posto de capitão da Inglaterra. Dois anos depois, foi punido pela Federação Inglesa por suposto racismo contra Anton Ferdinand, irmão de Rio Ferdinand, seu colega de seleção. Mesmo assim, disputou a Eurocopa.