Em uma tarde de estréias, o Atlético conseguiu uma importante vitória diante do Vasco, por 3 a 1, e manteve a escrita de não ter perdido para a equipe carioca em jogos do Campeonato Brasileiro na nova Arena. Mas a vitória veio com sofrimento para o torcedor rubro-negro que mais uma vez compareceu em bom número para incentivar. Apesar de toda a equipe ter atuado bem até os 20 minutos do 2.º tempo, o herói do triunfo paranaense foi Galatto.

O goleiro defendeu um pênalti no momento em que o Atlético era pressionado e vencia por apenas um gol de diferença. A partir da defesa, o torcedor teve a certeza de que, diferente das últimas partidas em casa, os 3 pontos não fugiriam novamente. Com a vitória, o Furacão subiu na tabela para o 11.º lugar e se prepara para enfrentar o Sport, em Recife, na quarta-feira.

A primeira estréia vista pelo torcedor ontem, na Arena, foi a camisa. O Atlético entrou em campo com o terceiro uniforme (alvirubro), cujas cores predominantes excluem o tradicional preto. E a novidade entusiasmou os jogadores que, com muita disposição, passaram por cima do Vasco nos primeiros 45 minutos. Imprimindo um forte ritmo de marcação o Atlético não deixava o adversário jogar e encaixava rápidos contra-ataques.

E as chances começaram a aparecer a partir dos 15 minutos. Alan Bahia e Julio dos Santos não marcaram devido a desvios providenciais dos zagueiros. Mas aos 19 minutos, o Atlético reencontrou uma característica que havia esquecido neste Brasileirão: rapidez no toque de bola. E em três toques o time chegou ao gol. Nei acertou um lindo lançamento que cruzou quase todo o campo e parou no peito de Márcio Azevedo. O ala cruzou e Joãozinho desviou para o fundo das redes.

O Vasco sentiu o gol e foi facilmente engolido. Nem mesmo a entrada em campo da revelação Alex Teixeira mudou o panorama. Na saída para o intervalo, a síndrome de levar gols de empate nos finais de jogo foi lembrada pelos jogadores. “Temos que fazer mais um para ficar tranqüilos”, disse Antônio Carlos. “Não merecemos empatar”, completou Rhodolfo.

Emocionante

Na corda bamba no comando cruz-maltino, Antônio Lopes fez mudanças que deixaram o seu time mais agressivo. Morais entrou para dar qualidade ao passe e impor velocidade. Mas foi o Atlético que voltou mais decidido. Aos 5 minutos, Ferreira cruzou para Márcio Azevedo fuzilar o goleiro Tiago. Nos 15 minutos seguintes, o Atlético continuou pressionando e poderia ter ampliado.

Mas o time paranaense perdeu Rhodolfo, por contusão, e o jogo mudou de panorama. O sistema defensivo do Furacão passou a falhar e a dar esperanças ao Vasco que partiu pra cima. Aos 26, Alan Kardec descontou e pôs fogo no jogo. O Atlético recuou e dez minutos depois, Márcio Azevedo não conseguiu acompanhar o veloz Wagner Diniz e o derrubou dentro da área.

Pênalti assinalado e tristeza na massa rubro-negra que mais uma vez viu a vitória indo embora. A esperança renasceu após Galatto defender a cobrança de Leandro Machado. A defesa despertou a equipe paranaense. E foi novamente num veloz contra-ataque, que o Atlético definiu o jogo.

Ferreira passou para Alan Bahia que achou Anderson Aquino – que fazia sua estréia na Arena após quase 3 anos -entrando como um foguete pela defesa adversária. O atacante tocou na saída de Tiago e devolveu a alegria e a tranqüilidade aos cerca de quase 20 mil atleticanos que marcaram presença na Arena.

Brasileirão 2008
13.ª rodada
Atlético 3 x 1 Vasco

Local: Estádio Joaquim Américo, Arena da Baixada, em Curitiba
Atlético
Galatto; Rhodolfo (Chico, 19’ do 2.º), Antônio Carlos e Danilo; Nei, Valencia, Alan Bahia, Julio dos Santos (Anderson Aquino, 30’ do 2.º) e Márcio Azevedo (Douglas Maia, ); Ferreira e Joãozinho.Técnico: Roberto Fernandes.
,Vasco
Tiago, Eduardo Luiz, Rodrigo Antônio e Luizão; Wagner Diniz, Jonílson, Jean (Morais, intervalo), Mateus (Alex Teixeira, 30’ do 1.º) e Pablo; Leandro Amaral e Abubakar (Alan Kardec, 16’ do 2.º).Técnico: Antônio Lopes.
Local: Estádio Joaquim Américo, Arena da Baixada, em Curitiba
Árbitro: Wallace Nascimento Valente (ES)
Assistentes: Gerson Pimentel Rodrigues (ES) e Eremilson Xavier Macedo (DF)
Gols: Joaõzinho aos 19’do 1, Márcio Azevedo aos 5’ e Anderson Aquino aos 48’ do 2 (A); Alan Kardec aos 26’ do 2
Cartões amarelos: Valencia, Ferreira, Alan Bahia, Nei, Antônio Carlos (A), Leandro Amaral Rodrigo Antônio (V)
Público pagante: 17.806
Público total: 19.303
Renda: R$ 285.350,00