O Flamengo não irá esquecer com facilidade a eliminação na Copa do Brasil, o que o time carioca entende estar diretamente relacionado à atuação ruim dos árbitros tanto no jogo de ida, no Rio, quanto na partida de volta, no empate em 2 a 2 com o Ceará em Fortaleza. O clube irá elaborar uma representação formal contra os árbitros das duas partidas.

Alegando “apoio maciço da torcida aos jogadores e comissão técnica, recebido desde Fortaleza até a chegada ao Rio de Janeiro”, o clube decidiu enviar uma representação à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) por intermédio da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), para “não deixar passar em branco”, o prejuízo que o Flamengo entende ter tido nos dois jogos.

“Especialmente ontem (quarta-feira) a coisa saiu de qualquer limite do bom senso. Os árbitros podem errar, sim, mas foi clamoroso, revoltante. A arbitragem teve total interferência no resultado da partida e manchou uma exibição primorosa de nossa equipe”, afirmou o diretor de futebol do Flamengo Luiz Augusto Veloso.

Sandro Meira Ricci, árbitro da partida, deu cartão vermelho para Ronaldo Angelim após duplo amarelo – o segundo deles em lance contestável – e depois expulsou também Vanderlei Luxemburgo, que invadiu o campo ao fim do primeiro tempo para tirar seus jogadores de cima do árbitro e acabou acertando um soco no escudo de um policial que tentava proteger o trio de arbitragem.

No jogo de ida, no Rio, o Flamengo reclamou do lance do segundo gol do Ceará – que venceu por 2 a 1. Na jogada, no momento em que fez o domínio na entrada da área, Geraldo teria permitido que a bola batesse em seu braço, o que os flamenguistas entenderam como falta. O árbitro Marcos André Gomes da Penha nada marcou e, na sequência, o meia balançou as redes de Felipe.

“Desde ontem, todos do departamento de futebol só têm recebido elogios. Ficamos muito felizes com o reconhecimento de nossa torcida pela garra demonstrada na partida. Isso aprofunda nossa revolta com a interferência no resultado”, afirmou Veloso, tirando dos jogadores a culpa pela eliminação e culpando apenas a arbitragem. “Tivemos um desempenho heroico, brilhante. Continuamos a mandar na partida mesmo com um jogador a menos”, finalizou.