A torcida do Flamengo fez a parte dela. Lotou o Maracanã – mais de 72 mil pessoas presentes, com 61.643 pagantes -, mas saiu decepcionada. A equipe carioca se complicou na Libertadores ao perder para a Universidad de Chile, por 3 a 2, na noite desta quarta-feira.

Com a derrota em casa, o Flamengo precisa vencer o time chileno por dois gols de diferença, no dia 20 de maio, em Santiago, para chegar à semifinal da Libertadores. Por isso tudo, a torcida flamenguista vaiou os jogadores e chamou o técnico Rogério Lourenço de “burro”.

Presente na lista do técnico Dunga para a disputa da Copa do Mundo na África do Sul, o volante Kleberson deu passe para o gol de cabeça do atacante Adriano, mas não brilhou. Foi substituído no segundo tempo e saiu de campo sob vaias da torcida flamenguista.

Enquanto isso, um torcedor exibia um cartaz com a inscrição “Adriano, a nossa Copa é a Libertadores”. Abatido com a ausência na lista de Dunga, o atacante fez um gol, perdeu uma chance incrível e ainda acertou uma bola no travessão. Mas está fora de forma e lento.

A Universidad de Chile desceu para o vestiário no intervalo com 2 a 1 no placar e um jogador a menos em campo – Iturra foi expulso. Foi um primeiro tempo movimentado, emocionante. A equipe chilena poderia ter feito mais três gols, assim como poderia ter sofrido mais dois.

Num Maracanã lotado, a Universidad de Chile tratou de silenciar a torcida flamenguista com poucos minutos de bola rolando. Fez 2 a 0, gols de Victorino, aos 4, e Olarra, aos 23, diante de um Flamengo que estava burocrático, nervoso e apático.

Adriano, de cabeça, descontou aos 38 minutos. E, logo em seguida, Iturra recebeu o cartão vermelho, fazendo a torcida flamenguista sonhar com uma reação. Mas veio o segundo tempo e logo o Flamengo levou o terceiro gol, marcado por Fernandez aos 2.

Na base da pressão, mas sem nenhuma organização, o Flamengo conseguiu diminuir com um chute de longe do lateral-esquerdo Juan, já aos 45 minutos. Mas parou por aí. Não deu para evitar a derrota em casa, que complica a situação flamenguista na Libertadores.

FICHA TÉCNICA:

Flamengo 2 x 3 Universidad de Chile

Flamengo – Bruno; Leonardo Moura, Ronaldo Angelim, David e Juan; Rômulo (Michael), Willians, Maldonado (Petkovic) e Kleberson (Dênis Marques); Vágner Love e Adriano. Técnico – Rogério Lourenço.

Universidad de Chile – Pinto; Rodrigues, Victorino, Olarra e Fernandez; Seymour, Rojas, Vargas (Pinto) e Montillo (Puch); Iturra e Olivera (Rivarola). Técnico – Gerardo Peluso

Gols – Victorino, aos 4, Olarra, aos 23, e Adriano, aos 38 minutos do primeiro tempo; Fernandez, aos 2, e Juan, aos 45 minutos do segundo tempo.

Árbitro – Carlos Amarilla (Paraguai)

Cartão amarelo – Vargas, Juan e David.

Cartão vermelho – Iturra.

Renda – R$ 2.195.370,00.

Público – 61.643 pagantes.

Local – Estádio do Maracanã, no Rio.