Depois da eliminação na Copa do Brasil, com o empate por 2 a 2 com o Ceará em Fortaleza, o time do Flamengo desembarcou desanimado nesta tarde no Rio. Poucos quiseram se pronunciar e os que o fizeram destacaram mais uma vez a insatisfação com a arbitragem de Sandro Meira Ricci e ressaltaram o bom futebol apresentado pela equipe.

Entre jogadores que deixaram o saguão do Aeroporto do Galeão rapidamente, sem falar com a imprensa ou dedicar tempo aos fãs, estava Ronaldinho Gaúcho, sem o largo sorriso característico. Thiago Neves foi dos poucos a se pronunciar e pediu a contratação de reforços para o Campeonato Brasileiro.

“O importante é levantar a cabeça, pensar no Brasileiro. Fomos campeões invictos, o time é bom. Mas temos de nos reforçar. Não vamos mexer em muita coisa, mas peças têm de chegar”, clamou o meia.

O mais chateado da delegação era Ronaldo Angelim. Escalado de última hora, o zagueiro foi expulso em lance discutível e estava inconsolável.

“Revi o lance e concluí que não foi falta. O juiz nem marcou, quem marcou foi o bandeirinha. A minha expulsão foi determinante. Dói, porque eu não queria ter atrapalhado. Peço desculpas aos meus companheiros, porque não era para ter ocorrido. Em todos esses anos de Flamengo, foi a primeira vez que fui expulso”, lamentou.

O clube agora tem pouco mais de uma semana para se preparar para a estreia no Brasileiro, dia 21, contra o Avaí, em Macaé. A diretoria busca no mercado um atacante consolidado, um zagueiro e um lateral-esquerdo, as principais carências do elenco.

“A primeira coisa é enaltecer o grupo de jogadores. Agora é colocar a cabeça no lugar, trabalhar e saber das nossas necessidades”, disse o técnico Vanderlei Luxemburgo.