A Ferrari ameaça deixar a Fórmula 1 caso a FIA leve adiante a idéia de instituir um único modelo de motores para a categoria a partir de 2010. Nesta segunda-feira, a escuderia italiana manifestou-se oficialmente sobre a intenção da entidade, e não descartou sair do Mundial.

“Confirmamos nosso pleno empenho para uma substancial e necessária redução dos custos, a partir do motor. Todavia expressamos uma forte preocupação sobre o projeto de equalização e padronização dos motores, o que privaria a Fórmula 1 de sua razão de ser, baseada na competição e no avanço tecnológico”, disse o Conselho Administrativo da marca italiana em nota oficial.

“No caso de estes elementos tornarem-se menores, o Conselho Administrativo pode considerar a hipótese de não continuar na categoria”, afirma o documento.

A relação da Ferrari com os motores sempre foi marcante. O fundador da escuderia, Enzo Ferrari, costumava dizer que a aerodinâmica era bobagem, e que para vencer era preciso ter um bom motor. Até 1995, os carros da equipe italiana corriam com os famosos V12, que fizeram história na Fórmula 1.