Felipe se prepara para sair
dos boxes em Barcelona.

São Paulo – Eram 9h35 em Barcelona e Felipe Massa abria sua terceira volta nos testes que a Sauber fazia ontem no circuito catalão. Quando descia a reta, a maior entre todas das pistas que fazem parte do calendário da F-1, com mais de 1 km de extensão, a suspensão dianteira direita de seu carro estourou. O piloto estava a cerca de 300 km/h. Só foi parar numa barreira de pneus. Resultado: o brasileiro passou a noite internado e só deve receber alta hoje pela manhã.

As primeiras informações que chegaram ontem da Espanha eram desencontradas e alarmantes. Felipe teria desmaiado pelo menos duas vezes, na hora do impacto e pouco depois. Mas ele mesmo fez questão de desmentir tudo. “Quando bati, entrei no rádio e falei com a equipe. Desliguei a chave geral e saí do carro sozinho”, contou. “Em nenhum momento perdi a consciência.”

O primeiro comissário de pista que chegou ao local, a área de escape da curva 1 de Barcelona, pediu que ele se sentasse enquanto o socorro não vinha. Levado para o ambulatório, Massa disse que não sentiu dores e o tempo todo conversou com os médicos, que decidiram transferi-lo para o Hospital Geral da Catalunha em Sant Cugat Del Vallès, a poucos minutos dali de helicóptero.

No hospital, Felipe foi submetido a uma tomografia e a exames de raios-X. Nenhuma contusão foi constatada. Mas, como é praxe em casos de pancadas fortes, os médicos decidiram mantê-lo internado para cumprir o período normal de 24 horas de observação. “Estou bem e por mim já tinha ido embora, mas eles me explicaram os riscos a que qualquer pessoa está sujeita em casos como esses”, conformou-se.

A Sauber tirou do piloto qualquer responsabilidade pelo acidente, admitindo que houve uma “falha da suspensão” do C23, o novo carro da equipe para a temporada 2004. “Teremos de levá-lo para a fábrica, na Suíça, para descobrir exatamente o que aconteceu”, disse um porta-voz do time, que cancelou os testes e só volta a andar amanhã em Vairano, na Itália.

Não foi o primeiro acidente de Massa, 22 anos, na F-1. Nos primeiros testes com a Sauber em 2002, ele chegou a destruir alguns carros, o que deixou seu patrão Peter Sauber com a pulga atrás da orelha. E foi por achá-lo impetuoso demais que, naquele ano mesmo, acabou dispensando o piloto ? que em 2003 passou a temporada fazendo testes pela Ferrari. Mais “maduro”, como ele mesmo diz, voltou à Sauber para correr em 2004 e 2005 ao lado de Giancarlo Fisichella.