enkontra.com
Fechar busca

De Letra

Luto no esporte

Ex-rubro-negro Washington morre em sua casa em Curitiba

O atleta tinha 54 anos e sofria de esclerose lateral amiotrófica

  • Por Cristian Toledo, Ae Notícias

Washington César Santos, o Washington do Casal 20, que morreu ontem aos 54 anos em Curitiba, não foi apenas um centroavante. Ele foi um ídolo, daqueles de verdade, de um tempo em que o futebol paranaense era mais periférico do que era hoje. Foi brilhante com a camisa do Atlético, e chegou à seleção brasileira atuando pelo Fluminense. A história, entretanto, conta uma trajetória acidentada até a explosão com a camisa rubro-negra.

Washington surgiu no Galícia, clube da colônia espanhola em Salvador. Conseguiu a proeza de ser chamado para a seleção que disputaria o Torneio de Toulon jogando lá – um pouco pela ajuda do velho Aymoré Moreira, seu treinador. Mas o talento do centroavante foi comparado a outro jogador grandalhão, que parecia desengonçado mas que era talentoso, um tal de Sócrates.

E Washington foi parar no Corinthians, como um possível parceiro ideal para o Doutor. Ele não jogou bem em São Paulo, e acabou virando moeda de troca. Em uma transação de vários jogadores, Washington foi atuar no Internacional. Lá também não rendeu, mas a passagem por Porto Alegre serviu para conhecer Assis – esse sim o parceiro ideal. O meia tinha chegado ao Beira-Rio da mesma forma que Washington, em uma negociação que envolvia um monte de jogadores. E os dois entraram em outra transação logo depois, em 1982. Trocados pelo lateral Augusto, do Atlético.

A reação foi ruim em Curitiba.

Mas no Paranaense de 82 Assis e Washington resolveram detonar. Furacão campeão estadual com léguas de frente para os rivais e conquista confirmada num 4×0 sobre o Colorado. O ano seguinte seria da consagração nacional.

Já ídolos de um time com outros craques como Nivaldo, Roberto Costa e Capitão, Washington e Assis lideraram um dos maiores times do Atlético em sua história. Foram eliminando quem aparecia pela frente, e não fosse o Flamengo de Zico e aquele time teria conquistado a Taça de Ouro. Mas o camisa 9 do Furacão deixou sua marca, principalmente naquele 2×0 sobre o Fla no Couto Pereira, recorde de público do nosso futebol. O honroso terceiro lugar deixou o gosto de quero mais.

Arquivo
Washington e seu parceiro Assis brilharam com a camisa do Atlético.

Foi impossível segurar a dupla em Curitiba. No Fluminense, veio a fama e vieram títulos, três estaduais e o Brasileiro de 84, que eles não conseguiram no Rubro-Negro. Por conta do seriado de TV, viraram definitivamente o Casal 20 que “liderava a audiência” da torcida tricolor. Ambos chegaram à seleção brasileira com Edu Coimbra em 1984 – mas Washington foi convocado mais vezes, tendo no currículo uma medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 1987, em Indianápolis.

Depois de sair do Flu, Washington rodou alguns clubes, chegou a jogar em Foz do Iguaçu, e voltou ao Atlético em 1991. Passagem rápida, mas suficiente para um gol decisivo numa vitória sobre o Paraná Clube. Depois, vem a parte triste – a doença (ver abaixo), as dificuldades, a dor da perda ontem. Mas o que fica é o artilheiro, o camisa 9 que fez o torcedor atleticano sorrir. Esse é o Washington que fica pra sempre.

Despedida

O ex-jogador era casado há mais de 35 anos e tinha dois filhos. Washington era de Valença, na Bahia, e a família acredita que o enterro seja lá.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

25 Comentários em "Ex-rubro-negro Washington morre em sua casa em Curitiba"


Brenno Arcie
Brenno Arcie
4 anos 11 meses atrás

Washington e Assis Chegaram no Furacão, e mostravam que o Brasileiros ama.. O Futebol Arte, quase foram campeões dando show nas tanto que chegaram a semi de 83 (3x0FLA e 2x0CAP),Mostrando futebol arte que o brasileiro tanto amam que foram contratado

MAC 71
MAC 71
4 anos 11 meses atrás

Junior, essa doença não tem ligação com consumo de álcool, em geral ela é hereditária e não existe cura. O indivíduo já nasce com a doença, porém ela só se manifesta após os 50 anos. Portanto você falou besteira.

Marcelo C
Marcelo C
4 anos 11 meses atrás

Valeu Washington. Tive o PRIVILÉGIO de vê-lo jogar naquele timaço de 1982/83 com Assis, Lino, Capitão e Cia. Descanse em paz.

MACHADO CAP
MACHADO CAP
4 anos 11 meses atrás

Jogou muito pelo CAP, estava no estadio nos 4×0 sobre o colorado em 1982.
Que Deus conforte a familia.

Tricolor Tricolaço
Tricolor Tricolaço
5 anos 1 hora atrás

junior junior, não se pode aceitar um comentário imbecil destes seja de que torcida venha,o ser humano Washington sempre será muito maior do que qualquer tipo de rivalidade clubística,tanto paranistas, quanto coxas e atleticanos tem que ter respeito.

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas