te11151204.jpg

Eurico: "O jogo não vale nada".

Rio – O presidente do Vasco, Eurico Miranda, admitiu ontem que o esforço feito para vencer o Atlético-PR não deverá ser o mesmo contra o Santos, domingo, pela última rodada do Brasileiro. Em entrevista à Rádio Globo de São Paulo, o dirigente afirmou que "o jogo não vale nada" para o time carioca, ao contrário do discurso que vem fazendo no Rio.

Na entrevista, o presidente do Vasco afirmou que não forçará os titulares da equipe a jogarem e informou já ter liberado o atacante Anderson, com um problema dentário, além de desobrigar o meia Petkovic a atuar, por estar com dores musculares. Eurico chegou, inclusive, a frisar que se fosse arriscar em um campeão não teria dúvidas em "apostar dobrado" no Santos.

Como o Santos lidera o campeonato, depende apenas de uma vitória simples sobre o Vasco, domingo, em Rio Preto, para ficar com o título. Ao Atlético-PR resta vencer o Botafogo, em Curitiba, e ainda torcer por um tropeço santista.

Também ontem, mas no Rio, Eurico havia dito que tinha resolvido fazer o possível para obter uma vitória contra o Santos. Por isso, com objetivo de poupar o time, fretou um avião que levará o elenco para São José do Rio Preto no dia da partida. E, para amenizar as críticas e o clima no clube, decretou o fim da ?lei da mordaça?, voltando a permitir que os atletas falem com os jornalistas e tratem de todos os assuntos, inclusive, renovação de contratos e propostas recebidas.

Já o técnico Joel Santana foi enfático ao falar sobre o fato de que irá escalar a força máxima do Vasco contra o Santos. "Semana passada já tinham dado o título como definido e não foi bem assim. O filme ainda não acabou e pode ter outro capítulo", avisou o treinador.

Com a reapresentação do elenco ontem, no CT do Vasco, na Barra da Tijuca, Joel começou a definir o time para o jogo de domingo. E encontrou problemas.

Petkovic e Anderson, já dispensados pelo presidente do clube, não treinaram ontem, assim como o lateral-direito Thiago Maciel, com dores musculares. Mas o médico do Vasco, Lídio Toledo, assegurou que eles têm condições físicas de enfrentar o Santos.

Joel quer escalar Petkovic, que confirmou já estar tratando de seu futuro em 2005. "Tem muita gente interessada em mim e isso só me deixa feliz. Meu procurador vai conversar com todos e com o Vasco. O problema é que também existe muita especulação, boato", revelou o jogador. "O fato da minha família já estar adaptada ao Rio e eu ter negócios aqui pode influenciar. Agora, para me tirar daqui não adianta vir com uma proposta quatro vezes menor do que ganho."

Já a liberação de Anderson pode ter sido motivada pelo desejo de Joel Santana de tirá-lo do time. O treinador tem feito vários elogios ao desempenho nos treinos de Marco Brito, que deverá ser o titular no domingo.

Atlético se prende a fio de esperança para domingo

Rodrigo Sell

"Um fio de esperança." É com essa chance que o técnico Levir Culpi trabalha para motivar seus jogadores na última semana de trabalho no ano. Na volta ao batente no CT do Caju, era impossível não perceber o abatimento dos jogadores do Atlético pela derrota para o Vasco e a conseqüente perda da vantagem para conquistar o título do campeonato brasileiro.

Vendo o desânimo, o treinador tratou logo de levantar o astral do grupo para tentar a vitória sobre o Botafogo, mesmo não contando muito com o tropeço do Santos diante do time de Eurico Miranda.

"A conversa inicial foi de completarmos a semana como todas as outras e a oportunidade de terminarmos o campeonato com um ótima vitória e também com a possibilidade da conquista do título", aponta Levir. De acordo com ele, independente da conquista do título, o Rubro-Negro deverá fechar uma grande temporada no domingo. "Nós ficamos sensibilizados com a presença dos torcedores no aeroporto e nos deixa numa condição de fechar um ano que foi bom para todo mundo", destaca.

Mas, ele não descarta ainda a conquista do título. "Sei lá, quem sabe ainda. Temos um fio de esperança, porque no futebol tudo pode acontecer", sonha. Para ele, seria bastante justo o clube conquistar mais um título nacional este ano. "No meu modo de entender, esse grupo trabalhou o suficiente, trabalhou honestamente para merecer esta competição, mas vamos ver o que acontece no final de semana", diz.

No entanto, ele sabe que dificilmente o Vasco será páreo para o Santos na última rodada da competição. "O Vasco vai jogar lá em São José do Rio Preto e nenhum torcedor deles deve comparecer lá. Então, é impossível a mobilização que eles tiveram contra nós. Agora, dentro de campo tudo é possível. Se eles tiverem a mesma determinação que tiveram contra nós, é possível que possam surpreender o Santos", finaliza.

Time

Na volta aos trabalhos, o elenco treinou fisicamente pela manhã e técnica e taticamente na parte da tarde. Para pegar o Botafogo, às 16h de domingo, na Arena, a única novidade da equipe deverá ser a presença de Jádson, após cumprir suspensão automática. Assim, Fernandinho voltaria para a ala-direita e Raulen ficaria como opção no banco de reservas.

Mais uma noite de julgamento

O mais provável é que não dê em nada, mas o Atlético não consegue se livrar da perseguição que o leva toda semana ao tapetão do STJD. Hoje, como nas outras vezes, o clube sentará no banco dos réus devido a um copo plástico encontrado no gramado da Arena na partida contra o São Caetano. Para variar, a denúncia partiu do programa Terceiro Tempo, da Rede Record, e foi acatada pelo auditores do tribunal. As imagens não são conclusivas, mas o Rubro-Negro terá que provar que ninguém da arquibancada arremessou o objeto para não perder até três mandos de campo no campeonato brasileiro do ano que vem.

De acordo com o árbitro Helvécio Zequeto, um copo foi encontrado ao lado do banco de reservas do Furacão. O juiz colocou na súmula que esse copo seria de um jogador do Atlético, que teria deixado cair assim que saiu o gol da virada contra o Azulão (a partida terminou em 5 a 2 a favor do Rubro-Negro). Como o incidente aconteceu próximo de Sueli Terezinha Tortura, a quarta árbitra na ocasião, o copo foi encaminhado para o representante da federação.

A confusão (ou má-intenção de quem fez a denúncia) aconteceu devido às imagens das cabines mostrarem um copo passando em frente à câmera. No entanto, isso não deve resultar em punição ao clube da Baixada pois os planos eram diferentes (o copo voou na reta superior e outro copo apareceu ao lado do banco de reservas).

Washington nega tudo

Washington não gostou nada das declarações do zagueiro Henrique, do Vasco. Depois de marcar o gol da vitória equipe e virar herói por livrar sua equipe do rebaixamento, o vascaíno "revelou" que o Coração Valente havia pedido para ele deixar o Rubro-Negro fazer um gol e continuar na busca do título. Contrariado, o atleticano desmentiu tudo e ainda insinuou que o carioca estivesse querendo pegar carona na fama dos outros.

"Besteira. De repente, ele estava num momento único da vida dele, num momento raro, que deu a vitória para a equipe dele, na empolgação e aí, ele não se conteve e falou algumas coisas aí…", disparou Washington. Ele garante que numa partida quente e corrida como aquela nem dá para conversar dentro de campo. "Não tem nada a ver. Eu vou pedir para zagueiro para fazer gol?"

De acordo com o atacante, Henrique teve seus 15 minutos de fama ao fazer o gol da vitória contra o Atlético e livrar o Vasco do rebaixamento. "Não sei qual era a intenção dele ao dar essa declaração, mas era uma oportunidade que ele tinha (de aparecer), não é?", retrucou.

Botafogo dá férias a 11 jogadores

Rio de Janeiro – Na semana decisiva para a permanência do Botafogo na Primeira Divisão, a diretoria alvinegra resolveu ontem "dar férias antecipadas" para 11 jogadores. A tendência é a de que os atletas não permaneçam no clube na próxima temporada. Entre os nomes que aparecem na lista de dispensa, o volante Carlos Alberto é o único que atuou na derrota para o Corinthians, por 2 a 1, domingo, em Caio Martins.

Os outros são: Lopes, Lázaro, Renatinho, Fábio Reis, Cassiano, Téti, Leandrinho, Gedeil, Gilmar e Delani, primo de Kaká.

O clima é de tensão para o confronto contra o Atlético, domingo, na Arena da Baixada, quando até mesmo um empate poderá não assegurar o time na divisão de elite do nacional em 2005.