A expulsão de Gilberto no empate por 1 a 1entre Real Potosí e Cruzeiro, quarta-feira, na Bolívia, pela fase preliminar da Libertadores, vai render uma punição ao jogador. A ação se deve a forma como o jogador foi expulso, já que o lateral-esquerdo recebeu o cartão vermelho sem ter sido advertido antes com o amarelo.

Aos 20 minutos do primeiro tempo, após sofrer falta de Yecerotte, Gilberto deu um soco no rosto do adversário. O cruzeirense foi empurrado pelo rival e deferiu outro soco. O técnico Adílson Batista admitiu que ficou chateado com a expulsão e disse que o resultado do jogo poderia ter sido diferente se o Cruzeiro tivesse permanecido com 11 jogadores até o final do jogo.

“Acho que nós teríamos condição de vencer devido primeiro à capacidade deles e à obediência. Valorizaram a bola. O Kleber segurou muito, o Wellington foi importante, o Henrique roubou bola, correu e salvou todo mundo. Todos tiveram sua importância. É evidente que acaba sobrecarregando. Se estivéssemos com o Gilberto, poderíamos ter saído com a vitória”, afirmou.