O clássico de domingo serviu para Ricardo Oliveira provar o quanto continua dedicado ao Santos. O atacante entrou em campo contra o Corinthians dois dias após lamentar o fracasso de uma ida ao futebol chinês, mas com os dois gols convenceu a todos que o empenho para ajudar o time atual não ficará abalado.

Aos 35 anos, o jogador teve na última semana a chance de se acertar com o Beijing Guoan, da China, onde receberia cerca de R$ 1 milhão por mês. Os dois clubes não se acertaram, a transferência foi cancelada e na sexta-feira, Ricardo Oliveira gravou um depoimento em que admitiu a frustração por perder uma oportunidade profissional rara para jogadores veteranos, porém garantiu que não deixaria de se esforçar pelo Santos.

“O Ricardo Oliveira não precisa dar resposta a situação alguma ou a alguém. Como qualquer pessoa, ele poderia ter tido um desequilíbrio depois da semana que teve, mas teve grande atuação”, elogiou o técnico do Santos, Dorival Júnior.

A torcida na Vila Belmiro também não mudou em nada o comportamento. O nome do atacante foi o mais gritado antes do jogo e levou apenas oito minutos para que qualquer dúvida sobre Ricardo Oliveira terminasse, com o gol que abriu o placar. Foi preciso esperar pouco para que ele se mostrasse importante ao time e focado no clássico com o Corinthians.

“Fico feliz por ele não só pelo gols, mas pela atuação que o Ricardo teve. Quando ele está bastante concentrado, como ocorreu, sempre vai produzir muito para a equipe”, comentou o treinador.

Ricardo Oliveira não marcava há um mês, desde o jogo contra o Ituano. A indefinição sobre sua saída nos últimos dias e a convocação para a seleção brasileira fizeram a semana do veterano ser bastante movimentada. Ao menos para os santistas, o desfecho foi totalmente positivo, principalmente pela nova vitória em clássico.

O artilheiro do futebol brasileiro no ano passado com 37 gols marcou em 2015 contra todos os rivais do futebol paulista. E domingo mostrou que continua inspirado quando se trata de clássicos e garantiu que estava imune aos problemas fora de campo. “Está no meu sangue, não existe de forma alguma chance de eu entrar em uma partida desmotivado e sem poder entregar o meu melhor”, afirmou o atacante.

Para a felicidade dele, a ocasião era bastante apropriada para dar essa resposta à torcida. O Santos chegou a 38 jogos sem perder na Vila Belmiro pelo Campeonato Paulista, série que dura desde 2011, quando foi derrotado pelo Palmeiras. “O torcedor sempre demonstrou todo o apoio por mim. Eu visto a camisa e me esforço ao máximo. Algumas vezes as coisas não dão certo, mas hoje (domingo) deu”, comentou.

PONTO DE VIRADA – Ao contrário dos três rivais, que disputam a Libertadores, o Santos tem apenas o Paulista neste início de temporada e carecia de uma atuação convincente contra adversários de peso. A vitória sobre o Corinthians fez o time afirmar que a boa partida virou um modelo a ser seguido.

“Foi um grande jogo da equipe toda. Nosso time sempre cresce em clássicos, especialmente na Vila. Isso comprova a nossa força. Vamos tentar manter isso para parar de oscilar”, afirmou Lucas Lima. Antes do Corinthians, o Santos havia perdido para o Red Bull na rodada anterior.

Ao derrubar o invicto Corinthians, o elenco espera iniciar uma nova fase. “Foi um dos melhores jogos do ano. O time jogou muito bem, de forma consistente. Precisávamos ter um jogo dessa intensidade”, comentou o lateral Victor Ferraz. Na próxima rodada o Santos pega o Água Santa, no Pacaembu.