Quando você vive uma situação extrema, fazer previsões e avaliar cenários são tarefas quase impossíveis. Na sexta-feira (26), o Campeonato Paranaense teve seu retorno delineado com a marcação de uma data-limite: 15 de julho, daqui a duas quartas-feiras. Parecia naquele momento uma data mais ou menos razoável para a volta do futebol no Paraná. Hoje, segunda (29), não se pode dizer o mesmo. Até porque o coronavírus voltou a atingir diretamente o esporte.

Autoridades de saúde, políticos, médicos e diretores de hospitais fizeram alertas – em maior ou menor grau – para o risco de colapso no sistema de saúde no estado. A notícia do dia é que quatro hospitais de Curitiba estão com 100% de ocupação de leitos de UTI para pacientes com covid-19. Outras cidades do interior sofrem a mesma dificuldade.

A posição do governo é de alerta máximo. (ATENÇÃO: esse trecho foi atualizado) As medidas mais duras serão anunciadas a partir das 9h30 desta terça-feira (30), com restrições a mais atividades – algo como o que foi pedido pelo Ministério Público. Os casos no Paraná aumentam de forma assustadora, e até a hipótese de lockdown foi discutida, mas em nota divulgada no final da tarde o Palácio Iguaçu garantiu que a medida extrema não será adotada.

Athletico com casos; e o Campeonato Paranaense?

E por mais que o futebol tente se colocar fora desse panorama, ele está envolvido até a cabeça. Nesta segunda, colaboradores do Athletico foram diagnosticados com a covid-19. Entre eles, estão três jogadores do elenco que disputa a Libertadores – vou omitir os nomes pra não expor ninguém. Os testes foram feitos sábado (26). Oficialmente, o clube não comenta o assunto. Questionada, a assessoria de imprensa disse que o Furacão não se pronuncia sobre testes negativos ou positivos.

O retorno do Campeonato Paranaense pode sim ser impactado pelo anúncio de medidas mais duras pelo governo estadual. Dentro da secretaria de Saúde, a visão é de que não há o menor clima para a volta do futebol, e que neste momento não há nenhuma previsão sobre marcação de partidas.

Uma decisão oficial de restrição de atividades que implicasse em suspensão dos treinos coloca o Campeonato Paranaense sob risco real. Não é à toa que dois dirigentes, o presidente do Paraná Clube Leonardo Oliveira e o gestor do Londrina Sérgio Malucelli, admitiram a possibilidade do torneio não ser finalizado. Os próximos dias serão decisivos.

Leia também:

+ Carlinhos Neves no podcast De Letra
+ Volta do futebol une incerteza, insensatez e irresponsabilidade
+ Nem mesmo a MP dos direitos de TV deve unir clubes


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?


+ Confira todos os posts do blog AQUI!