Quase titular do Coritiba antes da paralisação para a Copa do Mundo, o zagueiro Demerson tenta recuperar o tempo perdido apesar do prazo curto até o final da Série B.

O Alviverde tem 12 jogos para realizar ainda e ele deverá perder os próximos dois antes de ser totalmente liberado pelo departamento médico. No entanto, só pelo fato de disputar coletivos com o restante do elenco deixa o jogador mais sorridente no Alto da Glória.

Nada mau para quem esperava voltar em agosto, mas descobriu que a lesão no menisco do joelho direito era mais séria e precisou voltar aos tratamentos. “Foi uma lesão no menisco e na cartilagem, uma lesão muito chata, mas já está voltando a confiança para retornar da melhor maneira possível”, relembra o defensor.

Mas chato mesmo foi ter perdido uma sequência como titular da equipe. “Vivia meu melhor momento no Coritiba, mas o importante é que estou de volta e o clube vive uma boa fase”, afirma Demerson.

Segundo ele, o momento crucial foi quando tentou retornar aos trabalhos e sentiu. “A previsão de recuperação era de quatro a seis semanas e quando fui treinar senti novamente. A frustração veio, mas fiquei feliz por não ter vindo uma nova lesão, sem precisar fazer uma nova cirurgia”, aponta.

Para aumentar o azar, a zaga vem tendo uma rotatividade em função de lesões e cartões e ele não pôde jogar. “Mas o Coritiba prova que está com um grupo muito qualificado, tem uma briga saudável por posição e nosso intuito é de chegar no final com condição de buscar o título”, pondera.

E quando será a volta? “Para sábado ainda não estou liberado, mas só de estar com o grupo já fico muito feliz e espero na semana que vem estar apto”, avisa. Pressa ele não tem porque seu contrato só acaba no final do ano que vem.

“Já tinha um contrato com o Coritiba de dois anos e quanto a isso estou muito tranquilo, a diretoria tem me dado um respaldo muito grande”, finaliza Demerson.