Na tentativa de minimizar as cobranças e críticas, o presidente do Coritiba, Rogério Bacellar, fez questão ontem de pedir desculpas para a torcida por causa de algumas contratações que até agora não deram certo no Alto da Glória. Até agora o clube trouxe 18 jogadores. “Peço desculpas para a nossa torcida por algumas contratações que não deram certo. Nós tentamos trazer o melhor, dentro das possibilidades financeiras e das condições atuais do Coritiba”, disse o dirigente.

“Muitos nos criticam, dizendo que nos trouxemos bondes e outras coisa mais. O que procuramos trazer foi com opinião conjunta de toda a estrutura de futebol. Não fizemos nada como atitude pessoal dessa ou daquela pessoa”, afirmou. “Foi uma atitude conjunta do departamento. Se erramos, todos erramos. Não vou culpar esse ou aquele. Só tenho a agradecer quem está nos ajudando”, acrescentou Bacellar.

O presidente ainda fez questão que os técnicos das categorias de base do Coxa assistissem ao pronunciamento da primeira fileira para que soubessem que o projeto de restruturação dessa gestão, eleita no final do ano passado, segue firme, mesmo com a saída de Marquinhos Santos e do ex-CEO João Paulo Medina.

“Ele (Ney Franco) tem o perfil de aproveitamento de todos os setores que é a nossa plataforma. Nós estamos seguindo o que prometemos em campanha”, garantiu, afirmando que na semana que vem vai apresentar um relatório das atividades dessa gestão.

Bacellar ainda valorizou o trabalho de Marquinhos Santos. “O trabalho foi maravilhoso. Temos uma divida de gratidão com ele”, disse.

Objetivos

O técnico alviverde disse que não pretende se contentar só em livrar a equipe do rebaixamento. “Eu acho mais vantajoso para o Coritiba jogar Copa do Brasil, mesmo sendo a Copa Sul-Americana uma copa internacional”, afirmou. “No Brasileiro é o momento de dar uma arrancada, 12º, 10º, e depois fazer a equipe evoluir no campeonato”, afirmou Ney Franco.

Ney Franco revê caras conhecidas

Assim que decidiu aceitar o cargo de novo treinador do Coritiba, Ney Franco começou a analisar o elenco. Dentro do grupo de 36 jogadores, o treinador viu alguns jogadores conhecidos que não estavam sendo muito utilizados.
“Tem jogadores como o Giva, que já coloquei na seleção da base. Dos recentemente contratados, o Marcos Aurélio. Não está no momento bom, mas o Cáceres em 2013 jogou muito comigo no Vitória”, lembrou.
Outros
Ao ser questionado sobre com quais jogadores já trabalhou ou mais conhecia, Ney Franco ainda lembrou do meia Lúcio Flávio, o atacante Wellington Paulista, o atacante Negueba, o volante Fabrício, o zagueiro Leandro Almeida, o meia Ruy e o atacante Wallyson. “O nosso elenco tem qualidade. Como todas as equipes do futebol brasileiro, mesmo as que estão na ponta hoje, em alguns momentos tem alguma carência, mas isso pode ser corrigido com trabalho e com a recuperação de alguns atletas”, afirmou. “Inclusive atletas da base podemos criar essas oportunidades e atender tecnicamente”, disse.

Feijão com arroz! Leia mais do Coxa na coluna do Massa!