O meia-atacante Lincoln, contratado em dezembro de 2011 pelo Coritiba e que deixou o clube em 2014, entrou com uma ação na Justiça do Trabalho cobrando cerca de R$ 7 milhões do clube. O processo avançou na última terça-feira (27) para a penhora do Centro de Treinamento da Graciosa, em decisão do juiz Rosiris Rodrigues de Almeida Amado Ribeiro.

Conforme a reportagem apurou, o Coxa ainda tenta um acerto com o ex-jogador, que atualmente é empresário, para acertar as dívidas.

No Alto da Glória, Lincoln ficou conhecido por ser uma aposta do então gerente Felipe Ximenes e também por um lance casual de treinamento – as duas situações o transformaram em uma figura polêmica entre os torcedores. Em fevereiro de 2013, durante uma atividade com bola, deu um carrinho perigoso e fraturou o colega argentino Bottinelli, uma das grandes contratações do clube para aquela temporada.

Apesar de estar em um momento de baixa na carreira, Lincoln chegou em 2012 com um alto salário e foi titular na primeira temporada pelo Alviverde. Depois, começou a se tornar reserva até ser liberado por empréstimo para defender o Bahia, em 2014, ano em que anunciou a aposentadoria.