Ainda sem vencer neste Brasileirão e ocupando a ZR, o Coritiba corre atrás de reforços. A “bola da vez” seria Giancarlo, artilheiro do Paraná Clube, com quinze gols em dezessete jogos disputados nesta temporada. O assunto deverá ser discutido oficialmente ainda hoje. O superintendente do clube, André Mazzuco negou que o clube tenha formalizado proposta pelo jogador, mas o vice-presidente Paulo Thomaz de Aquino confirmou interesse. A negociação seria facilitada diante da insatisfação do atacante com os constantes atrasos salariais no Tricolor.

Para alguns, tudo não passa de um “balão de ensaio” para valorizar uma possível transferência de Giancarlo para outro clube de Série A. Porém, nos bastidores os comentários dão conta até de detalhes da transação, que envolveria a cessão do também atacante Jonatha Fumaça para o Paraná. Destaque do Rio Branco no Paranaense, ele chegou ao Alto da Glória como “contrapeso” na transação envolvendo o volante Baraka (ambos pertencem ao mesmo empresário, Nenê Zini), mas não foi aproveitado por Celso Roth e treina no clube em horários diferenciados.

A busca por um atacante de referência é uma prioridade no Coritiba. Desde a saída de Deivid, não houve reposição e Celso Roth não esconde que essa situação gera um desconforto. Um quadro potencializado pelos recentes fracassos e pela péssima colocação no clube na tabela de classificação da Série A. Restam apenas quatro rodadas antes da parada para a Copa do Mundo o os planos iniciais – de atingir pelo menos cinco vitórias – já foram por água abaixo. O Verdão encara Inter e Goiás, em Curitiba, e Atlético e Criciúma, fora.

Logo após o jogo em Belo Horizonte, Roth reafirmou que gostaria de contar com novas pelas o quanto antes, mesmo sabendo que não haverá tempo para treinar. “Tenho um compromisso com o presidente e vou trabalhar com o que temos. Mas, todos sabem que é preciso qualificar e espero que tenhamos novidades neste sentido”, comentou o treinador coxa-branca. “Conheço o Giancarlo lá do futebol gaúcho (ele passou pelo Novo Hamburgo) e é um nome interessante diante da realidade do Coritiba”, afirmou Roth.

André Lima

Além desse possível negociação com o Paraná, o Coritiba ainda tenta “desenrolar” a situação de André Lima, que treina no clube há mais de um mês. O jogador já passou por uma bateria de exames e os resultados teriam apontado para uma total recuperação do atleta, que se submeteu ano passado à uma séria cirurgia de joelho. O problema, agora, seria apenas a questão burocrática, envolvendo a sua transferência do futebol chinês.

Mesmo que tudo dê certo, André Lima só seria opção para julho, após a Copa do Mundo.