Liberado para competir no Mundial de Esportes Aquáticos, Cesar Cielo deixou para trás a polêmica sobre o caso de doping e já projeta a primeira medalha em Xangai. A estreia do brasileiro acontecerá na manhã deste domingo (noite de sábado no horário de Brasília) na prova dos 50 metros borboleta, que não é sua especialidade.

“Os 50 m borboleta é uma prova nova para mim, em que estou tentando buscar, quem sabe, até uma medalha. Sem muita pretensão, mas também não vou entrar completamente displicente, achando que é uma prova em que não posso estar entre os favoritos”, afirmou o brasileiro, em declaração divulgada por sua assessoria de imprensa. Cielo tem o melhor tempo do ano nos 50m borboleta, com 22s98, registrado no Open de Paris.

Sem comentar a polêmica sobre o caso de doping, nem a repercussão gerada por sua liberação, Cielo disse estar motivado para defender os títulos mundiais conquistados em Roma, em 2009, nos 50 e nos 100 metros livre.

“Vou fazer o meu melhor e gostaria muito de defender os meus títulos. Espero que minha performance, o meu melhor, sejam suficientes. Vamos torcer por boas marcas, para entrar no ano olímpico com confiança”, projetou o recordista mundial nas duas distâncias.

Ainda no domingo, Cielo defenderá o revezamento brasileiro no 4x100m livre. Ele deverá ser poupado nas eliminatórias, mas tem presença garantida em uma eventual final, que será disputada no mesmo dia.

“Para a seleção, é importante tentarmos classificar os revezamentos para a Olimpíada. Tentar botar todos os revezamentos até o 12º lugar, o que classifica o Brasil para Londres”, ressaltou Cielo. “Temos um time bem forte e espero que a natação brasileira volte de Xangai com mais medalhas do que as que ganhamos em Roma”.

Cielo foi liberado para competir em Xangai na quinta-feira após julgamento na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês). O tribunal decidiu manter a advertência aplicada pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), contrariando a Federação Internacional de Natação (Fina), que queria suspensão de três meses para o brasileiro. Com a decisão, o atleta foi liberado para disputar o Mundial e os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.