O prazo foi bastante além das 48 horas prometidas na quinta-feira da semana passada, mas, nesta sexta-feira, o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, enfim deu seu aval para a criação da Liga Sul-Minas-Rio. Ele recebeu Alexandre Kalil, CEO da nova liga, pela manhã e disse novamente que “abraça a ideia”, colocando a estrutura da CBF à disposição.

Os integrantes da liga vinham garantindo que a competição entre os clubes sairia no próximo ano com ou sem aval da CBF. A entidade não quis pagar para ver e acatou o torneio – mas aproveitará para levá-lo de alguma forma para debaixo de seu guarda-chuva.

“Foi um encontro ótimo porque o Kalil trouxe parte das informações sobre a competição. O presidente (Del Nero) deu o seu aval e disse que tem toda a simpatia por uma competição que não colida com os estaduais”, afirmou o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, à reportagem do Estado. “Politicamente, o Kalil conseguiu aquilo que veio buscar.”

Um novo encontro entre as partes foi agendado para semana que vem. Na ocasião, representantes da liga e diretores da CBF discutirão aspectos técnicos da competição, com assuntos que irão do calendário de jogos até a questões jurídicas e de arbitragem.

A intenção da Liga Sul-Minas-Rio é a de que a competição de 2016 seja de tiro curto em função de problemas de calendário. É provável que o torneio seja disputado em apenas cinco datas. Neste caso, os 12 times participantes seriam divididos em grupos de quatro integrantes e os primeiros colocados, além do melhor segundo, avançariam para as semifinais. Assim como a decisão, elas seriam disputadas em jogo único.

Flamengo, Fluminense, Coritiba, Atlético-PR, Cruzeiro, Atlético-MG, Internacional, Grêmio, Figueirense e Avaí já estão confirmados na competição. Os outros dois integrantes serão definidos entre Chapecoense, Criciúma, Joinville, Paraná e América-MG, que também integram a liga.