Medalha de bronze na maratona aquática nos Jogos do Rio, Poliana Okimoto aproveitou evento no Palácio dos Bandeirantes nesta quinta-feira para cobrar do governador Geraldo Alckmin continuidade nos investimentos no esporte para o ciclo olímpico até Tóquio-2020. A nadadora discursou como representante dos atletas das modalidades individuais e pediu que o governador não acabe com os programas de incentivo ao esporte no Estado.

“Três, quatro anos, é muito pouco para construir um atleta. Eu espero, de verdade, que continue com o incentivo porque a gente tem muito a melhorar ainda”, disse Poliana durante a entrega da Medalha do Mérito Esportivo aos atletas paulistas que participaram dos Jogos Olímpicos.

Nos Rio, o Brasil não alcançou a meta do COB de conquistar 27 medalhas e ficar entre os dez primeiros colocados da Olimpíada. Segundo Poliana, o problema foi o investimento tardio no esporte. “Houve uma melhora significativa, com várias medalhas em esportes sem tanta tradição e muitas finais, mas esse é apenas um primeiro passo. No esporte, você não consegue resultado de uma hora para outra, precisa de tempo para construir um atleta”, reclamou.

Poliana conquistou no Rio a primeira medalha de uma mulher brasileira na natação. Ele terminou a maratona aquática na quarta colocação, mas ficou com o bronze após a desclassificação da segunda colocada, a francesa Aurélie Muller.

Após ouvir as críticas da nadadora, Geraldo Alckmin prometeu manter e aperfeiçoar os programas de incentivo ao esporte durante o próximo olímpico. “Vamos continuar com os centro de formação e excelência, o Bolsa Talento, apoiando as entidades para desenvolver o esporte social com crianças e jovens e também os Jogos Escolares para estimular a prática esportiva e revelar talentos”, disse.