Sem Nenê, que não jogou sob a alegação de dores no pé esquerdo, o Brasil venceu a Espanha, hoje, por 88 a 79. O resultado coloca a seleção nas quartas de finais, na quarta-feira, em Londres, como segundo colocado do Grupo B, com quatro vitórias em cinco jogos.

Os espanhóis ficaram com o terceiro posto, atrás da Rússia, a líder, e o Brasil. A definição dos confrontos só sairá após o duelo entre Estados Unidos e Argentina, a partir das 18h (de Brasília).

Se os argentinos perderem para o Dream Team, terminam como terceiros no Grupo A e duelam com o Brasil. Caso contrário, a seleção enfrentará a França. Mas isso seria em caso de zebra.

Um triunfo americano somado ao resultado do Brasil hoje coloca as duas seleções em rota de colisão na semifinal do torneio olímpico -se as duas equipes chegarem até lá. Já a Espanha só encontrará com o Dream Team em uma hipotética final.

Os espanhóis chegaram a abrir 11 pontos de vantagem no terceiro período, mas parecem ter diminuído o ritmo na etapa final. Durante boa parte do tempo, as duas equipes atuaram com jogadores reservas.

O cestinha do jogo foi o pivô Pau Gasol com 25 pontos. No lado brasileiro, Leandrinho foi o maior pontuador, com 23 pontos.

No primeiro período, a Espanha confiou seu jogo todo em Pau Gasol, a estrela do time e do Los Angeles Lakers. Ele não teve dificuldades para executar suas jogadas ofensivas ante a marcação de Tiago Splitter e Varejão. Pau anotou 13 dos 26 pontos espanhóis na primeira etapa. Foi quase a mesma quantidade marcada pelos brasileiros nos 10 minutos iniciais: 17.

Na segunda parcial, os dois treinadores aproveitaram para colocar em quadra os times reservas. O argentino Rubén Magnano, treinador da seleção brasileira, manteve os armadores Raulzinho e Larry Taylor boa parte do tempo jogando. Os espanhóis sacaram Pau Gasol, Marc Gasol, Juan Carlos Navarro e Rudy Fernandez. Foi quando o Brasil se aproveitou para diminuir a distância no marcador. O terceiro quarto começou com os espanhóis ainda à frente, mas com 44 a 38.

Os irmãos Gasol retornaram ao jogo e, mais uma vez, o Brasil não conseguiu pará-los. Pau, por exemplo, anotou cinco pontos, Marc, nove. Serge Ibaka foi o responsável por outros seis. E os espanhóis mantiveram uma liderança confortável antes dos dez minutos finais: 66 a 57.

O Brasil encostou no placar com duas cestas de Marquinhos logo no início do quarto período. Magnano manteve a responsabilidade da armação para Raulzinho e Larry Taylor. Com duas cestas de três pontos de Leandrinho, restando quatro minutos para o final, a seleção, finalmente, assumiu a liderança no placar: 75 a 73.

Huertas só retornou à quadra faltando dois minutos e meio para o estouro do cronômetro e com o Brasil à frente por 80 a 76. A Espanha não pareceu se esforçar para terminar o duelo como vencedor. E o resultado final foi Brasil 88 x 82 Espanha.