O entorno da Arena da Baixada já vive o clima da grande final da Copa Sul-Americana. A bola vai rolar somente às 21h45 para o duelo entre Atlético e Junior Barranquilla, mas a quarta-feira (12), dia da finalíssima do torneio internacional, parece ter virado feriado para os rubro-negros. Desde o início da tarde, a torcida atleticana tomou as ruas próximas ao estádio para confraternizar e aguardar, com muita ansiedade, o momento da partida.

+ Decisão: Saiba tudo sobre a final da Copa Sul-Americana!

Teve torcedor que chegou nas ruas próximas a Arena da Baixada ainda na hora do almoço. Com a tradicional cerveja e espetinhos de carne improvisados, a torcida atleticana iniciou cedo a festa que, mais tarde, vai tomar conta do caldeirão. O jornalista Gustavo Machado afirmou que a quarta-feira foi dia de matar o trabalho em prol do Furacão.

+ Confira lance a lance a final da Sul-Americana!

“Hoje é dia de não trabalhar, na verdade. Tenho uma empresa. Já avisei quando o Atlético foi para a final que dia 12 eu não trabalharia. Não dormi a noite inteira. É muita ansiedade. Almocei e vim para cá para curtir o dia”, contou. O entorno do estádio foi fechado para trânsito de carros de passeio (a não ser os credenciados) a partir das 18h.

+ Mais na Tribuna: Título da Sul-Americana pode render ‘bolada’ e muito mais

Machado comentou ainda da ideia que seus amigos tiveram para deixar a cerveja bem gelada durante todo o dia. Esse grupo de torcedores encheu uma piscina, colocou gelo e transformou a piscina de criança em um reservatório para as bebidas. “A ideia da piscina foi dos amigos dos Sicupirados. Todos se organizaram, trouxeram uma caixa de cerveja e vamos ficar aqui até a hora do jogo”, emendou o jornalista.

Enquanto o entorno da Baixada ferve, dentro do estádio só o trabalho da turma dos bastidores. Foto: Cristian Toledo
Enquanto o entorno da Baixada ferve, dentro do estádio só o trabalho da turma dos bastidores. Foto: Cristian Toledo

+ Polêmica: Petraglia projeta futuro e alfineta o Coritiba

Apesar do clima de descontração e festa no entorno da Arena da Baixada, nas rodas de amigos, o assunto é só a grande final da Copa Sul-Americana. A ansiedade já tomou conta dos torcedores atleticanos. Baterias de fogos são ouvidas desde as primeiras horas do dia. O bairro Água Verde, onde fica localizada o Joaquim Américo, está pintada de vermelho e preto para a grande decisão.

+ Leia também: Pela Sul-Americana, Arena recebe primeira decisão de peso do Furacão

Os torcedores, em meio ao clima de festa fora da Arena da Baixada, também comentaram sobre a decisão da Sul-Americana. A torcida rubro-negra sabe que a partida não será fácil e espera um duelo truncado. Gustavo Machado também aproveitou para criticar as mudanças na identidade visual do clube divulgada ontem à noite em evento realizado no Joaquim Américo.

+ Fotos: Confira as belas imagens da torcida atleticana!

“Não será fácil. O primeiro jogo foi encardido. Eles marcam muito bem, mas a vitória é nossa. É o que esperamos a vida toda. Uma grande decisão dentro da nossa casa. Mas o Atlético morre hoje, deixa de existir. Por conta do devaneio de quem está no comando, de um conselho omisso que aprova uma logo sem ver. Hoje é um misto de felicidade e tristeza ao mesmo tempo”, concluiu Gustavo Machado.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!