A camisa 18 do Atlético deverá ser mais uma vez de Walter em 2016. Depois de se despedir do torcedor atleticano e de declarar, muitas vezes, a sua vontade de defender as cores do Sport, seu clube de infância, o centroavante deve voltar atrás e a diretoria atleticana divulgar hoje a permanência do jogador. A vontade da família de permanecer em Curitiba pode pesar na decisão do jogador, que voltou a conversar ontem com a direção atleticana no CT do Caju.

Em meio à apresentação dos laterais Léo e Pará, ontem à tarde, Walter apareceu no clube e intrigou os jornalistas presentes no CT. A imprensa de Recife já noticiava sobre a indecisão do centroavante por conta da preferência da sua família em permanecer em Curitiba.

A presença de Walter foi divulgada pelo blogueiro Vinícius Furlan, que publicou uma foto do atacante conversando com o goleiro Weverton dentro do CT. Daí por diante, a indecisão do camisa 18 veio à tona. Com a vinda do jogador a Curitiba, a história ganhou força e Walter foi chamado para uma reunião no final da tarde com o presidente Luiz Sallim Emed e o diretor Paulo Carneiro, e encaminhou a “volta sem ter ido embora”.

“Falta apenas a resposta dele. Ele está dividido. Quer jogar no Sport, mas a família está bem adaptada em Curitiba. Os dois times já estão acertados com o Porto. O Sport, inclusive, já enviou as minutas do contrato através de André Zanotta”, disse o empresário do jogador, Téo Constantin, em entrevista ao portal GloboEsporte.com de Recife, durante a tarde de ontem.

Relembre

No último dia do ano de 2015, a diretoria do Atlético divulgou uma nota oficial comentando que estava desistindo da renovação do contrato de Walter. Dentre os motivos listados, o clube destacou a dificuldade do jogador de chegar se não na sua forma física ideal, mas próximo dela, a vontade do atleta de defender seu clube do coração e os altos valores pedidos pelo Porto para a negociação.

O Sport, nas últimas semanas, havia acertado tudo com o Porto e iria desembolsar cerca de 1,2 milhões de euros por apenas 20% dos direitos de Walter. No clube pernambucano, no primeiro dos dois anos de contrato, o jogador receberia R$ 220 mil mensais. Os valores com o Furacão não foram revelados, mas até pelo jogador ter procurado a diretoria, Walter deverá se enquadrar na realidade do clube. Em Recife, pelas redes sociais, a torcida do Sport, antes mesmo da divulgação oficial, já criticava a atitude do jogador de ter voltado atrás.