O que era uma lua de mel agora deixa uma preocupação no ar. Em campo, neste domingo (16), o Atlético tenta a recuperação no Campeonato Brasileiro e ao mesmo tempo – e tão importante quanto – uma reabilitação emocional do time, que vinha de uma arrancada de quatro vitórias e nove jogos de invencibilidade e volta à Arena da Baixada com três derrotas seguidas às vésperas da partida mais importante do ano, na quarta-feira (19), diante do Caracas, na Venezuela.

+ Leia mais: Caso do “blogueiro oficial” leva Atlético a processar o Twitter!

São duas competições que neste momento se misturam. Primeiro pela condição natural do calendário, que faz com que a partida pela Copa Sul-Americana esteja “ensanduichada” por dois desafios pelo Brasileirão – o deste domingo, às 16h, contra o Fluminense, e no domingo seguinte (23) o clássico diante do Paraná Clube, também na Baixada. Por conta disso, voltar a vencer na competição nacional terá forte impacto na motivação do time para o jogo contra o Caracas. E um tropeço também.

+ Problema: Dívida do Atlético com a Arena passa de R$ 500 mi

Ao mesmo tempo, também é preciso “administrar” o elenco. Depois de duas viagens na mesma semana, para Belo Horizonte e Chapecó, o Atlético joga em casa, mas já projetando o mais longo dos trajetos dessa maratona, para a Venezuela. A boa notícia foi que o retorno de Santa Catarina foi de avião, não sendo necessário o desgaste de encarar dez horas de ônibus. Com isso, e mais os retornos de Jonathan, Lucho González e Nikão, que cumpriram suspensão na derrota para a Chapecoense, o técnico Tiago Nunes ganhou mais tranquilidade para montar o time que vai encarar o Flu de Marcelo Oliveira.

+ Mais lida: Risco de leilão da Arena da Baixada aumenta

Os três que não foram para Santa Catarina certamente estarão em campo. Mas devem formar uma equipe com a base titular, só que com alguns jogadores preservados. Thiago Heleno, ainda recuperando o ritmo, deverá ser um deles. Do meio para frente, Pablo e Marcinho vêm em uma sequência forte de jogos, e também seriam opções para descansar, pois a Sul-Americana é a prioridade do Furacão neste segundo semestre.

+ Confira: Veja a tabela e a classificação do Brasileirão!

Tudo seria bem mais calmo se o Atlético tivesse somado pontos que mantivessem a equipe no meio da tabela. Agora, com três pontos de frente para as equipes da zona de rebaixamento, vencer voltou a ser obrigação – em nome da recuperação no Brasileiro e da confiança para a sequência da temporada. “A gente estava em uma situação até confortável, longe da zona de rebaixamento, e hoje, com essas três derrotas, estamos ali quase beirando de novo”, admitiu Pablo. “Confiança é algo muito subjetivo porque ela normalmente vem com resultado e com performance. Eu penso que a confiança vai vir com resultado”, finalizou Tiago Nunes.

FICHA TÉCNICA

BRASILEIRÃO
2º Turno – 25ª Rodada

ATLÉTICO x FLUMINENSE

Atlético
Santos; Jonathan, Léo Pereira, Zé Ivaldo (Thiago Heleno) e Renan Lodi; Wellington, Lucho González e Raphael Veiga; Nikão, Marcinho (Rony) e Pablo (Bergson).
Técnico: Tiago Nunes

Fluminense
Júlio César, Léo, Gum, Digão e Marlon; Richard, Jadson, Dodi e Sornoza (Luciano), Everaldo e Kayke.
Técnico: Marcelo Oliveira

Local: Arena da Baixada
Horário: 16h
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!