O Athletico venceu o Cianorte por 1×0 no domingo (10), na Arena da Baixada, pela última rodada da Taça Barcímio Sicupira Júnior. A vitória não deu a classificação para a semifinal, mas o técnico Rafael Guanaes avaliou que terminar a primeira fase do Campeonato Paranaense com um resultado positivo é importante para a sequência da competição.

+ Leia mais: Furacão vence o Cianorte, mas não leva

“Tínhamos com principal foco ter uma semana boa de trabalho, com expectativa de criar novidade no jogo. Feliz pela vitória. Buscamos, competimos, lutamos. Não foi um excelente jogo, mas que fechar o turno vencendo seja um prenúncio de um novo ciclo na competição”, declarou em entrevista coletiva.

Pressionado, o comandante atleticano alterou o esquema tático do time, passando a jogar no 3-4-3 e a equipe seguiu com dificuldades de criação. Na primeira etapa, o Furacão não criou nenhuma chance de gol. No intervalo, Bruno Leite e Gabriel Poveda entraram nas vagas de Bergson e Reginaldo, respectivamente, e melhoraram o desempenho. Leite, dez minutos após entrar, marcou o gol que deu os três pontos ao clube.

+ Também na Tribuna: Oeste do Paraná estará bem representado nas semifinais

“Gostei (do sistema novo) em alguns momentos. Depois mudamos um pouco para ter outra alternativa também. Não temos um elenco numeroso, mas tudo isso traz uma boa expectativa para o segundo turno”, complementou.

Sem avançar no Estadual, o time de Aspirantes do Rubro-Negro volta a entrar em campo somente no dia 9 de março contra o Toledo, pela primeira rodada da Taça Dirceu Krüger. O treinador Guanaes quer aproveitar o tempo de 30 dias para marcar jogos-treino e amistosos, com o objetivo de explorar um coletivo forte para que a individualidade apareça em mais momentos das partidas.

+ Confira os jogos e a classificação do Campeonato Paranaense

“Conseguimos um desempenho coletivo equilibrado e isso vai proporcionar para ter um individual melhor. É aproveitar esse tempo para ter um time competitivo e equilibrado. Vamos encaminhar para ter uma equipe agressiva. Os meninos deram boas respostas, não sentiram o jogo e o planejamento para esse um mês é potencializar para ser forte independente de escolhas”, finalizou.

Com oito pontos, o Furacão terminou a Taça Barcímio Sicupira Júnior na quinta colocação do Grupo A. Além de vencer o Cianorte, o Rubro-Negro tinha que torcer por tropeço de Maringá e derrotas de Toledo, Londrina e Operário na rodada final. Nenhuma se concretizou.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!