Após a goleada do time principal do Athletico por 5×1 em cima do Cascavel CR, no sábado (22), pelo Campeonato Paranaense, o técnico Dorival Júnior projetou a grande dificuldade que a equipe terá na principal competição no ano: a Copa Libertadores. Para o treinador, a desmontagem do elenco complicou a situação atleticana na disputa continental. “Achei que perderíamos somente o Bruno (Guimarães)”.

A estreia do Furacão na competição continental será no dia 3 de março, na Arena da Baixada, às 21h30, diante do Peñarol, do Uruguai. O grupo do Rubro-Negro conta, ainda, com Colo-Colo, do Chile, e Jorge Wilstermann, da Bolívia.

Na opinião de Dorival, a perda de atletas que seriam parte da “espinha dorsal” da equipe pode prejudicar na competitividade da equipe. Vale lembrar que além do volante Bruno Guimarães, o Athletico perdeu diversos nomes da campanha da conquista da Copa do Brasil. Além disso, o goleiro Santos, lesionado, é outro desfalque.

“Ficou perigoso porque justamente a nossa mudança foi muito em cima (da hora). Já estávamos preparando a equipe com os jogadores que aqui estavam. Inicialmente achei que perderíamos somente o Bruno (Guimarães), até pelas conversas com o Paulo (Miranda – executivo de futebol), o presidente (Mario Celso Petraglia) e outros dirigentes. E de repente aconteceram outras situações”, explicou.

Além das mudanças forçadas no time, o técnico lembrou que as demais equipes do Grupo C já vêm de uma sequência de jogos, ao contrário do Furacão, que fez apenas três partidas oficiais. Esse fator torna os adversários ainda mais fortes.

“Estamos trabalhando com intensidade, dedicação, para diminuir a distância com essas equipes que já estão montadas. O Athletico vai ter que se dedicar muito para garantir essa vaga (nas oitavas de final)”, finalizou.

+ Mais do Furacão:

+ Assista aos gols da goleada do Athletico sobre o Cascavel CR
+ Dorival Júnior compara Athletico com o BBB: “cada semana sai um”
+ Palmeiras empresta zagueiro para o Athletico