O calendário farto e com grandes competições nesta temporada tornou o Athletico mais cascudo. É assim que o time do técnico Tiago Nunes vai chegar para a final da Copa do Brasil desta quarta-feira, às 21h30, diante do Internacional, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Mais experiente e mais calejado, o Furacão chega para a finalíssima com um gol de vantagem construído na partida de ida, semana passada, na Arena da Baixada e precisa de um empate para conseguir o título inédito da Copa do Brasil.

O Athletico levará lições importantes para este compromisso. Sabe que terá o Beira-Rio completamente lotado empurrando o Internacional. Um clima bem parecido com o que encontrou na decisão da Recopa Sul-Americana, diante do River Plate, e nas oitavas de final da Libertadores da América contra o Boca Juniors, ambos os jogos em Buenos Aires.

+ Leia mais: Athletico vai pra Porto Alegre com fome de título

Nas duas oportunidades, o Athletico saiu derrotado. A situação mais parecida foi no duelo contra o River Plate. Depois de vencer o time argentino por 1×0, na Arena da Baixada, o Furacão se segurou, mas não evitou a goleada por 3×0 e a perda do título da Recopa Sul-Americana. Esse é o tipo de situação que deixa o Rubro-Negro mais cascudo para conseguir o título da Copa do Brasil.

“O jogo não se condiciona só por uma equipe. Nosso desejo é manter nossa postura, uma equipe que propõe o jogo e ataca o adversário. Mas lá, o Internacional vai propor o jogo, vai atacar mais. Temos bastante amostragem. Já passamos por situações parecidas. O jogo contra o River foi um jogo de muitos ensinamentos. O Athletico vem aprendendo com cada situação. É tentar buscar lá o resultado positivo dentro do Beira-Rio”, garantiu o treinador.

+ Leia também: Árbitro que prejudicou Coritiba em 2012 apita final entre Inter e Athletico

Diante do Boca Juniors, pela Libertadores, o Athletico falhou na sua missão de chegar nas quartas de final. Mas neste caso, o primeiro jogo já disse muita coisa, já que a equipe argentina venceu por 1×0, na Arena da Baixada. Na Bombonera lotada, o Furacão não teve forças para reverter a vantagem do time xeneize, perdeu por 2×0 e amargou a eliminação em Buenos Aires.

Mas o Athletico traz também lições positivas de jogos marcantes nesta temporada. No jogo da volta das quartas de final da Copa do Brasil contra o Flamengo, o Furacão encontrou o Maracanã lotado e se saiu bem. Depois do empate em 1×1 na Arena da Baixada, o time atleticano saiu perdendo no Rio de Janeiro, mas reagiu, conseguiu empatar e garantiu a vaga na semifinal na disputa dos pênaltis.

+ Viu essa?: Tiago Nunes explica declarações polêmicas, mas torcida do Furacão se preocupa

Talvez naquele momento, diante do Maracanã com quase 70 mil torcedores e passando por cima da força do adversário, o Athletico se deu conta que poderia, de fato, brigar pelo título da Copa do Brasil. A conquista inédita está próxima. Precisa de um empate nos 90 minutos restantes da decisão contra o Internacional. Mas encontrará um adversário que também tem seus méritos e que já mostrou sua força jogando no Beira-Rio.

“Por mais que você crie ambientes para a sua equipe, é difícil manter o mesmo nível de atuação dentro e fora de casa. Não só o Athletico, os resultados do Inter fora de casa não são positivos, mas em casa são muito bons. O atleta, no seu ambiente, acaba perdendo o medo de errar, acaba arriscando mais e fica mais próximo de conseguir o resultado”, arrematou Tiago Nunes.