“Nos aproximamos da chance de sair com o título se formos lá pra tentar vencer o Internacional”. Foi assim que o técnico do Athletico, Tiago Nunes, resumiu como será a postura do time na finalíssima da Copa do Brasil. Na última quarta-feira, o Furacão saiu na frente e garantiu 1×0 no jogo de ida diante do Internacional, na Arena da Baixada. Os últimos 90 minutos da disputa vão acontecer no Beira-Rio, no próximo dia 18, e a tendência é que o Rubro-Negro não jogue apenas contando com a vantagem.

Para a partida de volta, o comandante prega respeito à força do adversário em casa, mas garante que o Furacão não vai abrir mão de suas características mesmo sob forte pressão. Nunes quer que seu elenco não conte com o gol já garantido na soma em busca do inédito troféu. “Se a gente jogar pensando nela (vantagem), vamos perder. Temos que pensar em fazer um grande jogo, manter nossa postura. Vamos ter que merecer muito”, explicou.

+ Leia mais: Athletico x Inter colocou Curitiba no centro das atenções

E o desafio do Athletico, de fato, será grande no imponente Gigante da Beira-Rio. Neste ano, o Colorado não perdeu em seu estádio em jogos pelo Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores. São 85,1% de aproveitamento em 18 partidas, com 14 vitórias e quatro empates. Em toda a atual temporada, os gaúchos contam com 79,4% de aproveitamento em 26 confrontos em casa, somando 19 vitórias, cinco empates e duas derrotas. Os únicos placares negativos aconteceram pelo Campeonato Gaúcho. Na Copa do Brasil, o Inter venceu os três jogos que disputou em seus domínios.

Por todos esses fatores, Tiago Nunes sabe que não há espaço para uma postura mais defensiva na grande final. Ele quer ver seu time entrando para brigar pelo placar. “Se formos para segurar o resultado, estaremos fadados a sofrer muito e vamos depender de situações que a gente não controla”, detalhou Nunes, ressaltando que o triunfo conquistado em Curitiba pode ser desconstruído em pouco tempo.

+ Leia também: Confusão entre torcedores e policiais termina com homem baleado

“A vantagem não é determinante para nada. Um chute no primeiro minuto pode acabar com ela. Porém é muito importante. Se ao final do jogo ela nos favorecer pode determinar a conquista”, enfatizou. Apostando em um Athletico ofensivo, o técnico deixou claro que seu time vai seguir com a postura que teve até aqui e que, inclusive, fez o Furacão eliminar o Grêmio na semifinal mesmo com uma desvantagem de 2×0 no jogo de volta. Nem o público de 50 mil pessoas que estará no estádio – composto em sua esmagadora maioria por Colorados – fará com que o Rubro-Negro mude seu estilo em campo.

“Sobre as estratégias, é tentar manter nossa postura, que é defender bem, mas não abrir mão de jogar com a bola no pé, aproximar para chegar com a bola no campo adversário e explorar as virtudes dos nossos atacantes”, concluiu.

Tudo sobre a final da Copa do Brasil

+ Tiago Nunes usa experiências no ano para evitar que o Athletico se acomode
+ Inter promete “entregar a vida” pra conquistar o título contra o Athletico
+
 O que o Furacão precisa pra ser campeão?
Os melhores e os piores do Athletico na primeira final